ADM tem aval para venda de negócios de plantio e cultivo de palma no Brasil

Publicado em 07/01/2020 por UOL

(Reuters) - O grupo norte-americano de commodities Archer Daniels Midland (ADM) recebeu autorização do órgão brasileiro de defesa da concorrência para uma operação de venda de seu negócio de plantio e cultivo de palma no país.
Com o negócio, fechado junto à Reflorestadora Moju Acará, do Grupo Marborges, a ADM deixará o mercado de palma no Brasil, segundo parecer do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). 
"A ADM do Brasil indicou que a operação proposta... é parte da revisão do seu portfólio de investimentos globais, realocando recursos do Grupo ADM em ativos de meio e final da cadeia de produção", apontou o Cade, que publicou no Diário Oficial da União desta segunda-feira um aval "sem restrições" para a transação. 
A unidade de palma da ADM no Brasil oferece seus produtos em todo território nacional, com as atividades de cultivo concentradas no Estado do Pará, nos municípios de São Domingos do Capim, Mãe do Rio, Santo Antônio do Tauá, Aurora, Irituia, São Miguel do Guama, Santa Maria do Pará e Capitão Poço.
Já o Grupo Marborges, comprador dos ativos, atua no plantio e cultivo de palma e na produção e comercialização de óleo de palma bruto, refinado e óleo de palmiste, também com instalações de cultivo no Pará (Moju, Acará e Garrafão do Norte). Segundo o Cade, a aquisição "não tem o condão de causar prejuízos ao ambiente concorrencial no Brasil, em razão da inexpressividade de participação de mercado das partes". 
(Por Luciano Costa)