Bolsonaro entrega taça para Palmeiras

Publicado em 03/12/2018 por Valor Online

Bolsonaro entrega taça para Palmeiras

Andre Penner / AP

Bolsonaro: "Na democracia o rodízio é bem-vindo; no futebol, só na churrascaria"

Com forte esquema de segurança - que endureceu a revista até de passageiros de outros voos que saíam pela manhã do aeroporto Santos Dumont, no Rio - o presidente eleito Jair Bolsonaro assistiu ontem à partida entre Palmeiras e Vitória, em São Paulo, e entregou o troféu de campeão brasileiro aos jogadores do clube paulista. Torcedor do alviverde, Bolsonaro foi aplaudido no início do jogo, por parte da torcida, quando seu nome foi anunciado no estádio. Não chegou a receber uma grande ovação no Allianz Parque até ser aplaudido quando desceu ao campo e entregou medalhas aos campeões e o troféu para o capitão do time, Bruno Henrique.

Fora do estádio, cartazes colados em postes mostravam fotos de Bolsonaro vestido com a camisa de outros clubes e o criticavam: "Malandro é o Bolsonaro. Todo ano é campeão!"; "Bolsonaro oportunista. Aqui não"; "Não conhece a nossa história". O presidente eleito também recebeu vaias, embora em proporção menor que os aplausos e os gritos de "Mito!". Bolsonaro assistiu ao jogo no camarote da diretoria, vestido com a camisa do Palmeiras e ganhou uma faixa com a palavra "Decacampeão". O clube paulista venceu o Vitória por 3 a 2, mas já tinha conquistado o campeonato, por antecipação, na semana passada.

"É um clima de festa, de libertar os sentimentos. Parabéns ao Palmeiras, parabéns a todos os torcedores do Brasil. Essa é uma festa que é ímpar para mim. Agradeço à direção por ter sido convidado. Dizem que na democracia o rodízio é bem-vindo; no futebol, só na churrascaria", disse, numa entrevista ao fim do jogo, carregando uma criança nos ombros. No Rio, onde mora e fez carreira política, Bolsonaro torce para o Botafogo, mas o Palmeiras é seu time desde a infância, quando morava no interior paulista. Seu nome é uma homenagem ao ex-meio-campista Jair Rosa Pinto, que atuou no time alviverde de 1949 até 1955 - ano em que Bolsonaro nasceu.

No vestiário, Bolsonaro cumprimentou os jogadores e o técnico Felipão. No camarote, tirou foto ao lado de Leila Pereira, presidente da Crefisa, empresa de empréstimo pessoal que patrocina o Palmeiras.

O presidente eleito dispensou avião da Força Aérea Brasileira (FAB), com o qual tem se deslocado, e viajou em voo comercial pela primeira vez desde o segundo turno. "A segurança que decide minha vida. Poderia ir em outro avião também, mas acho que estaria abusando. Não é o caso", disse. Antes de embarcar para São Paulo, afirmou que nesta semana deverá escolher o ministro do Meio Ambiente. Mais uma vez criticou as multas ambientais. "Você vai, por exemplo, a uma fazenda. Caiu uma mancha de óleo diesel no quintal do fazendeiro, é uma multa milionária em cima dele, ele não derrubou porque quis. Não é acabar com a multa, é racionalizar e não deixar nas mãos de alguns poucos para fazerem essa barbaridade". (Colaborou Cristian Klein, do Rio)