Com cenário externo positivo, Bolsa abre em alta

Publicado em 10/07/2018 por Terra

Início do pregão no Brasil também evidencia um ajuste local à valorização dos índices acionários americanos ontem, quando o feriado paulistano manteve a Bovespa fechada

O Ibovespa abriu em alta nesta terça-feira em meio ao tom positivo para ativos de renda variável no exterior. O imbróglio judicial que quase deu liberdade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no domingo não pesa contra os ativos domésticos. De forma geral, o exterior com índices acionários (segmento à vista e futuro) em alta e dólar em queda perante as principais pares do real é o que mais influencia os ativos no Brasil neste início de sessão. O petróleo em alta nos mercados futuros de Londres (ICE) e de Nova York (Nymex) também compõe esse quadro mais favorável para as ações brasileiras.

Às 10h18, o Ibovespa subia 0,71% aos 75.542,50 pontos. As ações da Petrobrás tinham alta de 1,68% (ON) e 1,56% (PN), enquanto o petróleo subia 1,60% na ICE e 0,79% na Nymex. As principais blue chips subiam. O dólar à vista caía 0,25% aos R$ 3,8594.

O início do pregão no Brasil também evidencia um ajuste local à valorização dos índices acionários americanos ontem, quando o feriado paulistano manteve a Bovespa fechada. As bolsas de NY subiram diante da expectativa de resultados positivos das companhias abertas do setor financeiro. A temporada de balanços começa na sexta-feira, quando saem os números de JPMorgan, Citigroup e Wells Fargo.

Há pouco, a Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) e Tendências Consultoria Integrada divulgaram que a circulação de veículos pesados em junho cresceu 47% descontados os efeitos sazonais. O indicador sofreu uma distorção expressiva por conta da volta à normalidade do fluxo de caminhões em junho após a greve dos caminhoneiros nos últimos dez dias de maio.

Dólar. O dólar renovou mínima ante o real no mercado à vista há pouco, aos R$ 3,8519 (-0,45%), paralelamente ao enfraquecimento da moeda americana em relação a divisas emergentes e ligadas a commodities em meio a um movimento de realização de lucros na sessão, disse o gerente de mesa de derivativos de uma gestora de recursos. Lá fora, o dólar reduziu ganhos ante o dólar australiano (+0,14%) e passou a cair, por exemplo, ante peso mexicano (-0,51%), rand sul africano (-0,06%) e lira turca (-0,57%).

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente