Gerenciamento de dados pode otimizar produção de suínos

Publicado em 07/06/2019 por Dourados Agora

O gerenciamento maciço de dados (Big Data) ou a Internet das Coisas estão aqui para ficar e eles estão se estendendo a todas as áreas e também a todos os setores econômicos.
A pecuária não é exceção e, em particular, a Espanha está na vanguarda da aplicação de novas tecnologias em indústrias como os porcos.
É o que Carlos Piñeiro, médico da Universidade de Tóquio, membro do Grupo Focal Espanhol de Digitalização e Big Data do setor agropecuário e diretor da empresa Segovia PigCHAMP Pro Europa, enfatiza.
"Essas tecnologias têm um tremendo potencial, trazer uma explosão na geração de conhecimento e compreensão dos desafios da saúde e produção, bem como a transparência sobre a qualidade da produção exigido pelo consumidor", explica.
Junto com outros colegas da Espanha, Irlanda e Japão, ele acaba de publicar um artigo na revista 'Animal Frontiers' em que analisam o que tem sido até agora o gerenciamento de dados em produção e saúde suína e onde está começando evoluir, por exemplo, no uso e integração de novas fontes de dados de robôs e sensores.
"Tudo isso nos permite avançar para o conceito de pecuária de precisão: o uso de um conjunto de tecnologias que permitem melhorar o desempenho dos animais.
Do meu ponto de vista, a pecuária de precisão melhorou sua posição e possibilidades extraordinariamente através do uso conjunto das TIC e do fenômeno da digitalização", enfatiza Piñeiro.
"É um verdadeiro tsunami", enfatiza o especialista, que destaca que a transformação desses dados em informações úteis é fundamental para melhorar a tomada de decisões e maximizar a produtividade.