Investimento em genética bovina mostra resultados a campo

Publicado em 03/12/2018 por Attuale Comunicação

O Mato Grosso tem o maior rebanho bovino do país, com uma produção de 29,7 milhões de animais, segundo o último levantamento do Instituto Brasileiro de Estatística de Geografia (IBGE). Ao todo, o número representa 13,8% da produção nacional, que chegou a 214,9 milhões de cabeças de gado. É no estado com o maior rebanho bovino do país que está a Agropecuária Cima, na cidade de Sapezal, contribuindo para o número recorde com um plantel de nove mil vacas, fruto do investimento em melhoramento genético.
Segundo Diego Cima, engenheiro agrônomo e diretor da Agropecuária Cima, o sucesso da empresa está diretamente ligado à parceria com a Genética Katayama. “Todo o trabalho desenvolvido e continuado é baseado na qualidade genética que o rebanho apresenta. Quando comparamos o nosso criatório com outros, vemos características que nos colocam acima da média”.
O investimento se traduz em resultado a campo, segundo Cima. Ele conta que há 10 anos os animais eram abatidos com quatro anos e hoje 60% dos machos são desmamados com oito meses, vão para o confinamento e são abatidos com 13 meses e média de 18@, sem a utilização de Creep Feeding. “Esses números já nos colocam em uma posição privilegiada em relação ao rebanho nacional. Nosso índice de desmama também era de 65% e hoje está em 80%, acima da média brasileira. Tudo isso é resultado do trabalho com a linhagem de touros Katayama voltado para matrizes”, detalha.
Cima acrescenta que ao longo dos anos os objetivos foram mudando conforme a resposta dos animais. “Antes buscávamos bezerros pesados e, como essa característica já foi atingida, estamos buscando qualidade de fêmeas. O foco são as matrizes com boa habilidade materna, que emprenhem mais cedo, que tenham maior porcentagem de desmame, entre outras características. Atingindo isso teremos consequentemente uma evolução do peso dos animais”.
Segundo Octávio Silva, gerente de pecuária da Katayama, a busca é incessante pela genética do gado moderno e produtivo. “Atendemos a Cima com genética de ponta. A parceria é contínua ao longo de todo o ano e fazemos visitas frequentes à Fazenda Cima, por isso conhecemos todo o sistema de produção e temos um diagnóstico exato das matrizes em reprodução. Assim é possível, juntamente com a diretoria da Cima, determinar e indicar melhores reprodutores que são capazes de incrementar o sistema e a produtividade da empresa. Podemos afirmar que temos uma parceria de confiança, onde o resultado está expresso em mais dinheiro no bolso para os dois lados”.
“Temos atingido os nossos objetivos e entregado uma produção de animais precoces, desenvolvidos e musculosos, de bons atributos maternos e reprodutivos, boa índole, com adequada caracterização racial e que expressem e transmitam precocidade sexual e de acabamento”, finaliza Silva.
Genética Katayama
A genética desenvolvida na Katayama é o alicerce do sistema de produção e seleção em massa de reprodutores e matrizes Nelore. Sua base genética é composta por um rebanho com mais de seis mil matrizes criadas a pasto, cadastradas e geneticamente avaliadas com máximo rigor zootécnico por sua equipe, pela ANCP (Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores), e pelo Gensys, por meio da DeltaGen.