Lucro da Glencore sobe 13% no primeiro semestre

Publicado em 08/08/2018 por Valor Online

Lucro da Glencore sobe 13% no primeiro semestre

Por Valor, com Dow Jones Newswires

SÃO PAULO  -  A mineradora e comercializadora de commodities Glencore informou nesta quarta-feira que registrou lucro líquido de US$ 2,7 bilhões no primeiro semestre deste ano. O montante representa um aumento de 13% em relação aos US$ 2,4 bilhões obtidos no mesmo período do ano anterior.

O crescimento do lucro, segundo a companhia, se deu com o aumento dos preços das commodities no período, apesar de uma série de problemas que afetaram a cotação das suas ações nos últimos meses.

O lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado, que exclui itens não recorrentes, subiu 23%, na mesma base de comparação, para US$ 8,2 bilhões — um recorde para o período, segundo a Glencore.

A receita, de janeiro a junho, somou US$ 108,6 bilhões, 8,2% maior que o apurado no primeiro semestre de 2017.

Os primeiros meses do ano foram difíceis para a Glencore. No Congo, enfrentou vários processos bilionários. Depois, o bilionário israelense Dan Gertler abriu uma ação separada nos tribunais do país, buscando US$ 3 bilhões em danos sobre uma disputa de royalties.

Mais recentemente, a companhia recebeu uma intimação do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, no âmbito de uma investigação sobre corrupção, que provocou uma desvalorização nas ações da empresa.

Aquisições

O semestre da Glencore também foi marcado por aquisições. No Brasil, a companhia comprou uma participação de 78% da distribuidora Alesat, dona da rede de postos de combustíveis Ale.

No relatório de resultados do semestre, a companhia diz que o investimento na Ale Combustíveis é consistente com a estratégia da empresa de aproveitar oportunidades no setor de distribuição em mercados importadores com boas perspectivas de crescimento.

O negócio foi fechado por cerca de US$ 220 milhões, sendo que US$ 140 milhões pagos na conclusão da compra e US$ 80 milhões nos próximos seis anos. A transação está sujeita a aprovação de órgãos reguladores e deve ser concluída no terceiro trimestre de 2018.

Para o futuro, o presidente-executivo da empresa, Ivan Glasenberg, disse no relatório que, embora as perspectivas de mercado permaneçam voláteis, a Glencore continua “altamente confiante” na força de seus negócios.