Meteorologia pode sofrer impacto com covid-19, diz WMO

Publicado em 03/04/2020 por Climatempo

A Organização Meteorológica Mundial (Word Meteorological Organization, WMO, na sigla em inglês) está preocupada com o impacto da pandemia do covid-19 na quantidade e qualidade das observações e previsões meteorológicas, bem como no monitoramento da atmosfera e do clima. 
O Sistema de Observação Global da WMO serve como espinha dorsal de todos os serviços e produtos climáticos fornecidos a seus cidadãos pelos 193 estados e territórios membros da organização. Ele fornece observações sobre o estado da atmosfera e da superfície do oceano a partir de instrumentos terrestres, marinhos e espaciais. Estes dados são utilizados para a preparação de análises meteorológicas, previsão do tempo e monitoramento do clima. 
"Os Serviços Meteorológicos e Hidrológicos Nacionais continuam desempenhando suas funções essenciais 24 horas por dia e sete dias por semana, apesar dos graves desafios impostos pela pandemia de coronavírus", disse o secretário-geral da WMO, Petteri Taalas. "Saudamos sua dedicação em proteger vidas e propriedades, mas estamos atentos às crescentes restrições de capacidade e recursos". 
Taalas afirmou ainda que os impactos das mudanças climáticas e a crescente quantidade de desastres relacionados ao clima continuam. "A pandemia do Covid-19 representa um desafio que grava os riscos de vários perigos em um único país. Portanto, é essencial que os governos prestem atenção em seu alerta nacional e às capacidades de observação do clima, apesar da crise do Covid-19". 
Grande parte do sistema de observação, como os componentes de satélite e redes de observação terrestres, por exemplo, são parcialmente ou totalmente automatizados. Por isso, espera-se que continuem funcionando sem problemas significativos por várias semanas, em alguns casos até mais. Porém, se a pandemia durar mais de algumas semanas, a falta de reparos, manutenção e suprimentos, e as redistribuições se tornarão uma preocupação crescente. 
Algumas partes do sistema de observação já estão sendo afetadas, com destaque para a diminuição significativa do tráfego aéreo. As medições de temperatura ambiente e da velocidade e direção do vento em voo são uma fonte muito importante de informações para a previsão do tempo e monitoramento do clima. 
Dados meteorológicos de aeronaves 
Aviões comerciais contribuem para o programa "Airbus Meteorological Data Relay" (AMDAR), que usa sensores, computadores e sistemas de comunicação a bordo para coletar, processar, formatar e transmitir observações meteorológicas para estações terrestres via satélite ou rádio. 
Em algumas partes do mundo, em particular na Europa, a diminuição do número de medições nas últimas duas semanas tem sido dramática. Veja o gráfico fornecido pela EUMETNET. 
Os países afiliados à EUMETNET, que reúne 31 serviços meteorológicos nacionais na Europa, estão atualmente discutindo maneiras de aumentar as capacidades de curto prazo de outras partes de suas redes de observação, a fim de diminuir parcialmente a perda de observações de aeronaves. 
O sistema de observação AMDAR normalmente produzia por dia mais de 700 mil observações de alta qualidade de temperatura do ar, velocidade e direção do vento. Além disso, fornecia informações posicionais e temporais necessárias, com número crescente de medições de umidade e turbulência. 
Observações baseadas em superfície 
Na maioria dos países desenvolvidos, as observações meteorológicas de superfície são quase totalmente automatizadas. No entanto, em muitos países em desenvolvimento, como é o caso do Brasil, a transição para observações automatizadas ainda está em andamento, e a comunidade meteorológica ainda depende de observações feitas manualmente por observadores, que as transmitem às redes internacionais para uso em modelos globais de tempo e clima. 
A WMO registrou diminuição significativa na disponibilidade de observação manual nas últimas duas semanas. Parte disso pode estar relacionada à situação atual de coronavírus, mas ainda não está claro se outros fatores também podem ter contribuído. A WMO está investigando outras possíveis causas. 
"Atualmente, o impacto adverso da perda de observações na qualidade dos produtos para previsão do tempo ainda é relativamente pequeno. No entanto, à medida que a diminuição na disponibilidade de observações meteorológicas das aeronaves continua e se expande, podemos esperar uma queda gradual na confiabilidade das previsões", disse Lars Peter Riishojgaard, diretor da filial do sistema terrestre no departamento de infraestrutura da WMO. 
Segundo Riishojgaard, o mesmo vale se a diminuição das observações meteorológicas na superfície continuar e, em particular, se o surto de covid-19 começar a impactar de forma mais significativa a capacidade de trabalho de observadores em países subdesenvolvidos. "A WMO continuará monitorando a situação, e a organização está trabalhando com seus membros para mitigar o impacto o máximo possível", afirmou. 
Atualmente, existem 16 satélites meteorológicos e 50 de pesquisa no mundo, além de mais de 10 mil estações meteorológicas de superfície automáticas e tripuladas, mil estações aéreas, 7 mil navios, 100 bóias ancoradas e mil flutuantes, centenas de radares meteorológicos e 3 mil estações comerciais especialmente equipadas em aeronaves, que medem parâmetros-chave da atmosfera, da terra e da superfície do oceano todos os dias. 
Tradução e adaptação de Paula Soares e Amanda Sampaio, do conteúdo publicado no site da WMO - World Meteorological Organization.