Novo acordo prevê expansão da área urbana de Campo Grande

Publicado em 11/06/2018 por Correio do Estado

Estudo realizado pela UFMS aponta que a cidade tem vazios que somam quase 50%

A expansão da área urbana de Campo Grande, rejeitada pelos membros do Conselho Municipal de Desenvolvimento e Urbanização (CMDU) no ano passado, durante a revisão do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental (PDDUA), voltou novamente à pauta e deve ser aprovada juntamente do coeficiente de aproveitamento (CA) “1” e taxa de permeabilidade mínima em 30%. 

O “acordo” entre a prefeitura, Câmara Municipal e Ministério Público do Estado (MPMS) deve expandir em quase duas vezes o tamanho atual do perímetro urbano da Capital. A área, que é de aproximadamente 350 km² a 354 km², passaria para 620 km². Mas o prolongamento de 270 km², ou seja, mais de uma vez e meia a área atual, já foi vetado pelos membros do CMDU.

A medida é questionada também por integrantes do Conselho Municipal do Meio Ambiente (CMMA), bem como por representantes das outras 31 entidades que participaram da elaboração do novo PDDUA – que aceitaram falar com a reportagem com a condição de não terem os nomes divulgados. A tramitação do texto do novo plano foi retirada da Câmara pelo Executivo, que ainda criou uma comissão para revisar o trabalho realizado ao longo de pelo menos quatro anos, com estudos técnicos e discussões que embasaram o PDDUA.

(*) Leia a reportagem completa na edição desta segunda-feira do Correio do Estado.