Queda nas pesquisas faz Marina mudar estilo da campanha

Publicado em 14/09/2018 por Valor Online

Queda nas pesquisas faz Marina mudar estilo da campanha

Os resultados das últimas pesquisas de intenção de voto acenderam um sinal de alerta na coordenação de campanha de Marina Silva (Rede). Segundo o porta-voz da Rede Sustentabilidade, Pedro Ivo Batista, o partido já estuda mudanças na estratégia para garantir a presença da candidata no segundo turno.

De acordo com ele, a campanha vai escolher cinco temas para focar até as eleições, pois as mensagens passadas pela candidata estariam muito difusas, o que dificultaria a assimilação pelo eleitorado. A ideia é elencar uma proposta de cada um dos temas considerados prioritários pela campanha, como educação e meio ambiente.

Marina também vai intensificar as agendas pelo Norte e Nordeste a partir da próxima semana. Na segunda, terá eventos em Sergipe e na terça, em Alagoas. A avaliação é que a campanha ficou muito concentrada no eixo Rio-São Paulo nas últimas semanas por conta da participação em entrevistas e debates.

A campanha também deve investir em uma imagem mais descontraída nas redes sociais. Segundo Pedro Ivo, a propaganda exibida esta semana, na qual a candidata senta em uma cadeira e fala apenas "não" para responder a pergunta "Marina é corrupta?", viralizou na internet com os memes criados a partir da peça.

O diagnóstico dos integrantes da campanha é que a disputa pelo segundo lugar ficará "embolada" até o dia da eleição. Atualmente, Jair Bolsonaro (PSL) lidera a disputa, seguido por Marina Marina, Ciro Gomes (PSDT), Geraldo Alckmin (PSDB) e Fernando Haddad (PT). Na pesquisa Ibope divulgada na terça-feira, Marina caiu de 12% para 9%, sendo ultrapassada por Ciro.

Questionada ontem sobre o assunto, a candidata do Rede voltou a minimizar os resultados. "Há nove meses que eu venho mantendo a posição de segundo lugar. Agora, porque houve uma pequena oscilação, todo mundo fica falando sobre isso. A pesquisa é o retrato de um momento", afirmou.

Ontem, Marina teve duas agendas em Brasília. A primeira foi uma entrevista à TV Gênesis, emissora ligada à igreja Sara Nossa Terra. A candidata, que é evangélica, tem perdido voto até mesmo entre eleitores do segmento.

Marina também fez uma rápida caminhada pela área central de Brasília. Uma semana após o candidato do PSL sofrer um atentado, ela disse que não tinha medo de caminhar pelas ruas e que, por onde passava, era recebida com amor.

"O nosso país é um país de união, de solidariedade, nós não vamos ser tomados pelo medo. A melhor forma de combater o ódio é não deixando que ele tome conta da gente. Estou andando o Brasil inteiro sendo acolhida, muito bem recebida por todos os brasileiros, e é assim que a gente faz, se a gente semeia amor, respeito, ele se prolifera", afirmou a candidata.

Durante a passeata, Marina fez diversas vezes o símbolo de coração com as mãos para ser fotografada. Ela também voltou a afirmar que Bolsonaro "teve sua proposta desconstruída" ao levar uma facada. "Imagina se aquele homem tivesse uma arma na mão. Essa é uma demonstração que a violência não se resolve distribuindo arma", disse.