Rede de ONGs acusa Bolsonaro de desmatar a Amazônia

Publicado em 24/01/2019 por Renova Mídia

Rede de ONGs que atua no combate à mudança climática apontou que o discurso de Bolsonaro no Fórum Econômico Mundial, nesta terça-feira (22), “não combina com a realidade dos primeiros 21 dias” da sua gestão.
O texto assinado pelo secretário-executivo do Observatório do Clima, Carlos Rittl, afirma:
“O governo federal tem agido de forma concreta para subjugar a agenda ambiental ao agronegócio e desmantelar a governança climática. Os resultados podem ser vistos no chão: o desmatamento na Amazônia está em alta e uma onda de invasões de terras indígenas está em curso.”
A nota do Observatório do Clima, por sua vez, diz que o presidente “merece cumprimentos” por ter “destacado a necessidade de harmonia entre desenvolvimento econômico e proteção ambiental”.
Durante o pronunciamento, que durou cerca de oito minutos, o presidente Jair Bolsonaro disse que o Brasil é a nação que mais preserva o meio ambiente e que nenhum outro país do mundo tem tantas florestas.
Segundo o “UOL“, Bolsonaro afirmou:
“Nossa missão agora é avançar na compatibilização entre a preservação do meio ambiente e da biodiversidade com o necessário desenvolvimento econômico, lembrando que são interdependentes e indissociáveis. Os setores que nos criticam têm, na verdade, muito o que aprender conosco.”
Ainda nesta terça, em reunião com executivos das maiores empresas do mundo, o presidente brasileiro afirmou que, “por ora”, o País não deixará o Acordo de Paris, mas ressaltou que não aceitará pressão de ONGs, como é o caso do Observatório do Clima.
O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, também insistiu que o Brasil precisa rebater as críticas estrangeiras de que estaria colocando em risco a proteção ambiental, conforme noticiou a RENOVA.