Tupy perdeu R$ 14 milhões com a greve de caminhoneiros de maio

Publicado em 09/08/2018 por A Notícia - SC

Os 14 dias de paralisação dos caminhoneiros, em maio, resultaram em perdas de R$ 14 milhões para a Tupy. E as decisões do governo federal de reonerar a folha de pagamento e reduzir o benefício do Programa Reintegra vão afetar o resultado da companhia já deste terceiro trimestre em diante. A extensão dos efeitos (aumento de custos de produção e queda de benefícios nas exportações) dessas medidas governamentais ainda está sendo avaliada, mas os impactos poderão ser importantes porque a empresa é intensiva em mão de obra – emprega 8.500 trabalhadores – e 85% de seu faturamento se originam de negócios no mercado internacional. No embalo do cenário global favorável, as exportações deverão ser ainda mais representativas para o faturamento da Tupy. Os negócios de exportação estão muito bons. A operação na unidade do México evolui e está crescendo.

 

Esfriamento de mercados 

O presidente da companhia, Fernando Rizzo, acrescenta outro componente neste momento que preocupa:

– O esfriamento da demanda dos setores de conexões, perfis e de peças automotivas destinadas ao mercado interno poderá resultar em ações nossas para minimizar seus impactos. Estamos acompanhando a realidade do mercado. Estes segmentos (de perfis e conexões) são pequenos e específicos, representam apenas 4% dos negócios, mas têm contingente de mão de obra grande. Então, mesmo que tenhamos que adotar férias coletivas para ajustar a situação, a manutenção dos empregos é estratégica para a empresa.

A Tupy faz investimentos pesados em qualificação, segurança do trabalho e no desenvolvimento de novos produtos de fundição e usinagem. O plano é investir R$ 150 milhões neste ano – desde janeiro, foram aplicados R$ 66 milhões.

A companhia faturou R$ 1,21 bilhão no segundo trimestre deste ano, o maior valor de sua história, o que significa aumento de 32,3% na comparação anual. O lucro líquido atingiu R$ 48,3 milhões no período abril-junho.

?Veja também as publicações de Estela Benetti?

 

Strauss volta ao mercado

d(Foto: (Divulgação))

A Strauss, uma das marcas mais tradicionais e valorizadas do segmento de cristais, está voltando ao mercado pelas mãos da Oxford. Seus produtos estarão na Abup Home & Gift, maior feira de decoração, mesa posta e utilidades domésticas da América Latina, que acontece de 15 a 19 de agosto em São Paulo. A Strauss passou a fazer parte do Grupo Oxford, pertencente à WPA, holding das três famílias fundadoras da WEG, em dezembro de 2017. A aquisição faz parte da estratégia da companhia de ampliar e incluir uma marca de luxo em seu portfólio. A meta é que, nos próximos dois anos, 20% do faturamento venham de novos negócios. Para atingir esse resultado, a Strauss tem papel fundamental.

– Estamos felizes e confiantes em passar a ter no nosso portfólio uma marca com tanta tradição e importância no segmento de luxo como a Strauss – afirma Décio da Silva, presidente do conselho de administração da Oxford e também no comando do conselho da holding WPA. 

 

Padrão elevado

Diz ele que o objetivo é preservar os valores da marca e toda sua tradição e, ao mesmo tempo, passar segurança ao mercado ao contar com toda a seriedade e força do Grupo Oxford. Na Abup Home & Gift, a Strauss apresentará seus clássicos cristais finos e de lapidações luxuosas. A marca ainda levará para a feira sua linha Sommelier, que atende aos mais rígidos padrões e exigências em termos de degustação de vinho. A Oxford está mantendo o método de fabricação artesanal, assim como seus produtos únicos, que se tornaram referências nos mercados nacional e mundial.

 

Döhler automatiza

A Döhler automatiza o processo produtivo. A aplicação das tags e etiquetas em cada unidade das peças passou a ser feita por meio da TagPress, solução da Censi Máquinas. São nove equipamentos que contam com opções de duas e três cabeças, para processo simultâneo. Além do ganho em produtividade, também é possível colocar nas etiquetas informações importantes, que vão desde a composição do produto até o preço, em um tempo que seria inviável antes, quando o trabalho era manual. O conselheiro Roland Döhler explica que mais de mil toneladas de produtos passam por este processo mensalmente. 

 

Nova solução 

Uma das novidades da área fabril da Döhler nos próximos meses será o uso da DuoPress, máquina para finalização de embalagens que utilizam cartelas, como para toalhas e panos de prato. A solução será apresentada para o mercado durante a Febratex, feira têxtil que acontece de 21 a 24 de agosto em Blumenau, e logo depois chega à companhia.

De acordo com Roland, a novidade vai permitir um novo modelo de venda de alguns itens da marca.

– Identificamos uma necessidade de mercado em relação ao formato de venda de algumas peças, que até então são compradas pelo cliente final em mais de uma unidade – geralmente dúzias, meias dúzias e trincas. Com o desenvolvimento dessa opção de embalagem, os produtos passam a ser vendidos individualmente. É uma estratégia que traz ganhos para todas as pontas da cadeia, permitindo ao cliente que consuma aquilo que de fato deseja.

A marca tem mais de 3 mil itens em seu portfólio, desenvolvidos em um parque fabril de mais de 200 mil metros quadrados. A Döhler emprega 3.200 trabalhadores.

 

Móveis pelo celular

A Lojas MM – um dos mais tradicionais grupos varejistas do Sul do Brasil – completa 40 anos e traz uma novidade tecnológica em seu atendimento junto ao consumidor. Os clientes de Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul já podem fazer suas compras diretamente pelo smartphone, por meio de aplicativo disponível nos sistemas Android e iOS. O investimento faz parte de um novo posicionamento do Grupo MM, que prevê mais de R$ 25 milhões em tecnologia para modernização das mais de 190 lojas e processos dentro do seu laboratório de inovação, o MMLabs. Localizado dentro da sede administrativa da empresa, em Ponta Grossa (PR), o MMLabs é um laboratório de ideias onde são criados e desenvolvidos novos conceitos de experiências a partir das principais tendências de mercado. O aplicativo, desenvolvido pela startup Neomode, utiliza o conceito omnichannel, permitindo que o cliente escolha o produto, pague pelo celular e retire nas lojas físicas totalmente integradas.

 

Melhora

A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) divulgou alta de 3,7% no faturamento do setor, em julho, comparado ao mesmo mês do ano anterior. Os resultados aferidos indicam manutenção da tendência de recuperação do setor no ano. 

 

Inovação 

A SAP anuncia investimento de R$ 120 milhões na expansão de seu centro de inovação localizado em São Paulo, no Rio Grande do Sul. 

 

À venda

O prédio onde fica agência do Banco Safra, bem no Centro de Joinville, está à venda.

 

Varejo 4.0

O professor e pesquisador Ricardo Pastore, da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) de São Paulo, faz palestra nesta quinta-feira, na Expoville, sobre "Jornada de compras no varejo 4.0".

 

?Leias outras publicações de Loetz?