UGT: Bolsonaro pode voltar atrás quanto à extinção de ministério

Publicado em 08/11/2018 por Valor Online

UGT: Bolsonaro pode voltar atrás quanto à extinção de ministério

SÃO PAULO  -  A União Geral dos Trabalhadores (UGT) acredita que Jair Bolsonaro poderá voltar atrás na decisão de extinguir o Ministério do Trabalho e Emprego, assim como parece ter desistido de unificar as pastas da Agricultura e do Meio Ambiente.

"Acredito que ele [Bolsonaro] vai desistir, da mesma forma que fez com a [ideia de a] Agricultura se unificar com o Meio Ambiente. Acho que vai prevalecer uma opção equilibrada, pelos discursos que ele tem feito, em nome de toda a população", afirma Ricardo Patah, presidente da UGT.

Para o sindicalista, o fim do Ministério do Trabalho seria uma decisão "muito ruim", uma vez que a pasta, na sua visão, é a única aberta para interlocução com os trabalhadores, enquanto as empresas têm portas de entrada diversas. "Acho que é um tiro no pé para um governo que já demonstra ter uma discriminação muito grande com a classe trabalhadora", diz.

Reforma da Previdência

Patah conta que as centrais sindicais ainda não têm um canal de diálogo oficial com a nova equipe de governo, mas que a UGT tem buscado manter contato individualmente com algumas das pessoas próximas ao novo presidente. Segundo ele, as centrais terão, na segunda-feira (12), uma reunião conjunta para discutir a resistência a uma reforma da Previdência "açodada" e, no encontro, a questão do fim do ministério também deverá ser discutida.

"A campanha foi acirradíssima, gerou brigas familiares, mas a eleição acabou. Vamos buscar a interlocução com o governo, pois representamos milhões de trabalhadores. Temos que conversar, gostando ou não", conclui.