Colheita surpreende e país pode ter nova supersafra

Publicado em 08/02/2018 por Valor Online

O clima era de festa na fazenda de Jader Bergamasco na tarde de 3 de fevereiro. As chuvas daquele sábado em Campo Verde, no sul de Mato Grosso, não esfriavam o ânimo da família do produtor de grãos e algodão. Das potentes caixas de som de uma caminhonete 4x4, sucessos sertanejos embalavam um churrasco. Depois de encerrar a colheita da soja desta safra 2017/18, os Bergamasco refizeram as contas e viram que, apesar das margens apertadas do ciclo anterior, foram recompensados por mais uma produção recorde da oleaginosa em suas terras, a segunda consecutiva. O crescimento foi garantido pela produtividade das lavouras, que subiu de 60 sacas por hectare para 64, um nível difícil de ser alcançado. LEIA MAIS Safra de soja supera as expectativas Ferrugem preocupa produtor em Goiás A colheita de soja não surpreendeu apenas os Bergamasco. A Agroconsult, consultoria que realiza a 15ª expedição técnica Rally da Safra, já considera provável que a colheita nacional supere em 2017/18 o recorde de 2016/17, de 114,1 milhões de toneladas. Na época do plantio, todas as projeções indicavam queda. O aumento poderá ocorrer a despeito do atraso generalizado na semeadura e de problemas provocados agora pelas chuvas nos trabalhos de colheita em alguns polos do país. Apesar dos dias nublados, Cristiano Palavro, consultor técnico da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), observa que o clima em geral foi favorável e que a produção estadual de soja deverá se manter em torno de 10,8 milhões de toneladas em 2017/18. O arsenal tecnológico à disposição dos produtores também vem facilitando a superação de adversidades climáticas e o aumento da produtividade. Além disso, nos polos do Centro-Oeste os grandes produtores estão capitalizados e são cada vez mais profissionais.