Crescimento do PIB de 2017 foi puxado pela agropecuária

Publicado em 05/12/2017 por Jornal do Comércio - RS

Dados estatísticos do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre deste ano, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), indicam que o crescimento acumulado da agropecuária no ano foi de 14,5%. Os demais setores, indústria e serviços, tiveram contribuição negativa na formação do Produto Interno Bruto, cujas taxas acumuladas foram de -0,9% e -0,2%, respectivamente.
De acordo com o coordenador-geral de Estudos e Análises do Ministério da Agricultura, José Garcia Gasques, "esse resultado da agropecuária reflete, principalmente, a atual safra de grãos, que se encontra praticamente colhida. Destaca-se um conjunto de produtos agrícolas que vem puxando o crescimento, tais como algodão, arroz, cana-de-açúcar, laranja, mandioca, milho, soja e uva. Na pecuária, destaque para suínos e leite".
Neste trimestre (julho, agosto e setembro), o valor do PIB agropecuário somou R$ 70,29 bilhões, a indústria alcançou R$ 314,56 bilhões e serviços, R$ 1,030 trilhão. O PIB da economia brasileira foi estimado em R$ 1,641 trilhão no trimestre, crescimento de 1,4%. A agropecuária teve ganhos de 9,1%. O IBGE atribui o resultado positivo aos ganhos de produtividade na agricultura. As atividades florestais também são apontadas como importantes no crescimento agropecuário.
A taxa de crescimento do terceiro trimestre, comparada ao trimestre anterior, foi de 0,1%. Nesse período, a agropecuária teve crescimento negativo (-3%), a indústria cresceu 0,8% e os serviços, 0,6%. Os dados de composição setorial da renda mostram que, no acumulado deste ano, a participação da agropecuária no PIB é de 5,7%; indústria, 21,2%; e serviços, 73,2%.
O PIB do agronegócio compreende, além das atividades primárias realizadas no estabelecimento, as atividades de transformação e de distribuição. O setor participa com 23% a 24% do PIB.