Desburocratização impulsiona sustentabilidade do turismo

Publicado em 13/11/2017 por Jornal do Comércio - RS

Durante evento em Gramado na sexta-feira, a secretária nacional de Qualificação e Promoção do Turismo do Ministério do Turismo, Teté Bezerra, defendeu que o Brasil continue investindo em estratégias de desburocratização do setor privado em nome do crescimento sustentado do setor. A palestra ocorreu durante a abertura do Congresso da 29ª Feira Internacional de Turismo (Festuris).
"Não dá mais para falar de turismo como potencial, trata-se de uma atividade econômica que cresce acima da economia e, por isso, é uma oportunidade concreta de fazer o Brasil avançar", destacou. Ela afirmou que, com o trabalho intermitente, previsto na reforma trabalhista, só o setor de bares e restaurantes deve gerar cerca de 2 milhões de novos postos de trabalho.
Teté também fez comparações entre os países com as economias turísticas mais fortes do mundo. Na avaliação da secretária, países como a França, que hoje tem uma das economias mais competitivas em turismo, com quase 85 milhões de visitantes, devem ser vistos como exemplos.
"Isso nos mostra que há gargalos que não podemos mais adiar. Um deles é a conectividade aérea, medida que estamos trabalhando de forma estrutural do plano Brasil Turismo", avaliou.
O Brasil Turismo, pacote de medidas do governo federal para fortalecer e alavancar o setor no Brasil, prevê, entre outras ações, a ampliação das linhas regionais no País e também estuda a mudança da regulamentação de voos de férias, com intuito de desburocratizar o processo de modo a incluir 10 milhões de viajantes no mercado aéreo doméstico. Em países líderes do turismo mundial, como a Espanha, os voos de férias representam cerca de 30% de toda a movimentação turística interna. No Brasil, este percentual gira em torno de 5% por conta da burocracia.
A secretária afirmou que o governo federal não mede esforços para consolidar o Turismo como política prioritária de Estado e que a modernização promovida pelo Brasil Turismo abre portas para ampliar a atratividade e a competitividade dos serviços e oferta turística do País.
A meta do Ministério do Turismo, segundo ela, é quase dobrar o número de visitantes estrangeiros, saltando de 6,6 milhões para 12 milhões em 2022. "Esse resultado só pode ser alcançado com medidas como o visto eletrônico, que começa a ser liberado já em novembro, primeiro para australianos e depois para norte-americanos, canadenses e japoneses."