Enquanto isso, ajuste fiscal continua parado

Publicado em 05/12/2017 por DCI

05/12/2017 - 00h00

Enquanto isso, ajuste fiscal continua parado

Com foco na tentativa de aprovar a reforma da Previdência, medidas ficam em segundo plano na agenda legislativa

O ajuste fiscal ficou mesmo de lado, com todas as atenções do governo - e, consequentemente, dos partidos aliados - voltadas para as últimas tentativas de colocar em votação, neste ano, a reforma da Previdência. Com isso, medidas importantes para o equilíbrio das contas federais em 2018 estão paralisadas na agenda legislativa deste final de ano, com risco de forte impacto negativo no cumprimento da meta do rombo fiscal no próximo exercício, estipulada em déficit de R$ 159 bilhões. A secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, alertou: sem essas medidas, o governo terá de fazer cortes adicionais nas despesas de 2018.

Pendências com impacto nas receitas...

Para valerem a partir de primeiro de janeiro de 2018, as medidas que estão aguardando na fila da agenda legislativa precisam ser aprovadas até  31 deste mês. A Arko Advice, consultoria de Brasília, listou as principais. As que renderiam receitas novas aos cofres da União são a Medida Provisória (MP) 806/2017, que tributa fundos exclusivos; o Projeto de Lei (PL) 8.456/2017, que reonera a folha de pagamentos de empresas de mais de 50 segmentos da economia; a MP 805/2017, que adia reajustes de servidores públicos do Executivo.

...e nas despesas

Existem também pendências que ampliam despesas do governo: refinanciamento de débitos tributários (Refis) do Funrural e para empresas inscritas no Simples Nacional. Essas duas concessões aos devedores resultariam em perda de R$ 23 bilhões no caixa do Tesouro Nacional no próximo ano. O Congresso também precisa votar até este dia 15 a MP 795/2017, que cria o Repetro, o regime aduaneiro especial de exportação e importação que concede suspensão de tributos federais para equipamentos usados em pesquisa e lavra de jazidas de petróleo e de gás natural.

Resultado positivo na crise

A Empretec terá neste ano seu maior faturamento ao longo de 47 anos de existência. A concretização dos negócios iniciados em 2016 resultou em crescimento das receitas de 20% em 2017.  Segundo o diretor Guilherme Nurchis,  "há uma projeção de avanço mínimo de 10% para 2018, uma vez que a empresa está ampliando a participação no mercado de energia, que no próximo ano responderá por 20% do faturamento total, contra os atuais 5%". Este mercado está passando por uma retomada importante e a Empretec pega carona.

Avanço no mercado de energia

Fabricante de equipamentos para vários ramos de logística, a Empretec produziu para o Metrô de São Paulo duas unidades de uma nova família de equipamentos, com carroceria metálica, guindaste hidráulico e cabine com capacidade para transportar 10 pessoas (sentadas), totalizando R$ 9 milhões. São veículos ferroviários, tipo "auto de linha", destinados à inspeção e manutenção de linhas de metrô, como também para rebocar veículos.  Além deles, a empresa - sediada em Guarulhos (SP) - desenvolveu ainda novos equipamentos rodoferroviários.

Balanço do BC

?O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, está inovando. Ele avisou ontem por meio do site da instituição que concederá entrevista coletiva no próximo dia 13, às 10h, para apresentar o balanço de 2017 e do primeiro ano da Agenda BC+. "Esta agenda compreende quatro pilares: cidadania financeira, melhoria da eficiência do sistema financeiro, arcabouço legal do BC e redução do custo de crédito", informa o site.
A entrevista coletiva será transmitida pelo canal do Youtube do Banco Central.

Indústria 4.0 no divã

Hoje e amanhã (5 e 6), acontece em São Paulo o 1º Congresso Brasileiro de Indústria 4.0, iniciativa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), em parceria com o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP). Palestrantes nacionais e internacionais vão discutir os impactos da chamada Quarta Revolução Industrial (Indústria 4.0) no Brasil, o cenário global das tecnologias disruptivas e de que forma a indústria brasileira pode se preparar para estes novos modelos de negócios. Os presidentes da ABDI e da Fiesp, Guto Ferreira e Paulo Skaf, respectivamente, abrirão o evento.

Economia criativa em Salvador

Integrantes da unidade de Social&Business Intelligence da agência paulistana Peppery prepararam um estudo que desnuda o sentimento em relação à primeira capital do Brasil, Salvador (BA). O trabalho foi preparado a partir da utilização de ferramentas de Inteligência Artificial e faz parte da parceria com a Aceleradora Vale do Dendê. O acordo prevê medições periódicas sobre a imagem da cidade e servirão de base para fortalecer a marca Salvador em pontos como inovação e criatividade. Segundo Bruno Bernardo, sócio-diretor executivo de planejamento da Peppery, o recall da cidade é elevado e positivo. "Salvador merece e precisa de muito mais do que isso para que sua imagem se fortaleça nos campos da inovação e da economia criativa".

Pessoas mudam, não as empresas

Para Lucas Mendes, presidente da We Work no Brasil, quem está mudando são as pessoas, não as empresas. "É inviável atrair talentos sem se adaptar ao que os funcionários entendem hoje como o local de trabalho. Ele é hoje um grande lugar de pertencimento, por isso o propósito hoje vale muito. As empresas transformadoras serão aquelas que conseguirão reunir paixão, missão, profissão e vocação dentro de seus espaços", disse Lucas no sábado (2), em debate sobre as transformações nas empresas, realizado no Complexo Intensidade da Cacau Show, que reúne em uma área de mais de 17 mil m² fábrica, escritórios e uma megaloja conceito, em Itapevi (SP). "Estamos em um momento de transformação da Cacau Show, reinventando nosso relacionamento com o colaborador. Dentro desse contexto, além do espaço físico, acreditamos que as experiências sensoriais ajudam a criar aquele importante sentimento de pertencimento com a marca", afirmou Alexandre Costa, presidente da empresa. O evento, promovido pelo LIDE - Grupo de Líderes Empresariais, LIDE Futuro e LIDE Empreendedor, reuniu cerca de 200 empresários, empreendedores e executivos.

Oportunidade na educação

O Centro de Liderança Pública (CLP), em parceria com a Fundação Roberto Marinho, Fundação Lemann, Instituto Península e Instituto Natura, divulga nesta quinta (7), em São Paulo, a segunda edição do Índice de Oportunidades da Educação Brasileira, o IOEB. O estudo apresenta práticas que contribuem para aperfeiçoamento educacional nas cidades ou estados. Na elaboração do IOEB são levados em conta indicadores de resultados e de insumos, como qualidade dos professores, experiência dos diretores, tempo de jornada na escola das crianças e taxa de atendimento na educação infantil. Na ocasião também serão apresentados 26 cases de cidades que adotaram iniciativas exemplares na área de educação.

Radiografia das estatais

O livro Estatuto Jurídico das Estatais - Análise da Lei 13.303/2016, será lançado hoje em Brasília, no Superior Tribunal de Justiça (STJ). A nova publicação traz um artigo de autoria da advogada Ana Frazão, a primeira mulher a dirigir a Faculdade de Direito da Universidade de Brasília, e conselheira do Cade, de 2012 a 2015. "Nesta publicação cada doutrinador escreveu sobre um aspecto da lei de forma esmiuçada. Com isso, conseguimos trazer as novas regras como um todo, permitindo que o leitor possa ter uma visão geral e abrangente sobre o assunto", explica. A obra trata de temas diversos relacionados às empresas públicas e às sociedades de economia mista, como: o conflito de interesses, o aprimoramento da gestão pública e os parâmetros da intervenção estatal na economia.

Novos parceiros no Brasil

 A filial brasileira da multinacional canadense de software de design gráfico, produtividade e aplicativos Corel inicia mais uma etapa para ampliar seu leque de parceiros, buscando novos revendedores para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do País. Segundo Flávio Tedesco, executivo da área de Canais da Corel Brasil, a marca vem desenvolvendo campanhas para atrair novos canais em território nacional como parte da estratégia do plano de crescimento para 2018.