Estado de SP adotará nova estratégia de vacinação contra a febre aftosa em 2018

Publicado em 14/11/2017 por Minerva - O Diário

O Estado de São Paulo adotará, a partir de 2018, uma nova estratégia de imunização contra a febre aftosa, com o objetivo de uniformizar o sistema com o calendário adotado pelos demais Estados da federação, a fim de retirar a vacinação em 2021. A Resolução estabelece que haverá a inversão das etapas realizadas atualmente, sendo que em maio de 2018, será obrigatória a vacinação contra a febre aftosa de todo o rebanho bovino e bubalino, independente da faixa etária; e em novembro do mesmo ano, será feita a imunização dos bovinos e bubalinos com idade entre 0 e 24 meses. O ajuste foi realizado a partir de solicitação da Secretaria paulista ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, considerando o pleito do setor produtivo. 

Até 30 de novembro de 2017, deverão ser vacinados todos os bovídeos (bovinos e bubalinos) do rebanho paulista de 11 milhões de cabeças. Os animais vacinados em maio, que na época tinham até 24 meses, também devem ser vacinados. É proibida a vacinação de outras espécies. O criador deve se organizar para fazer a vacinação dentro do prazo estabelecido pela legislação, ou seja, de 1º a 30 de novembro, e tem até o dia 7 de dezembro para comunicar a vacinação ao órgão oficial de Defesa Agropecuária diretamente no sistema informatizado Gedave. Deixar de vacinar e de comunicar a vacinação sujeita o criador a multas de 5 Ufesps (R$ 125,35) por cabeça por deixar de vacinar, e 3 Ufesps (R$ 75,21) por cabeça por deixar de comunicar.