Gedeão Pereira assume presidência do Sebrae-RS

Publicado em 12/02/2018 por Jornal do Comércio - RS

No próximo dia 20 de fevereiro, ocorre a posse do novo presidente do Sebrae-RS, Gedeão Pereira, que deverá seguir no cargo até o final do ano, quando ocorre nova eleição - desta vez, para o quadriênio 2019-2022. "Será mais um grande desafio para 2018", afirma o dirigente, que assume o papel no lugar do dirigente Carlos Sperotto, falecido em dezembro de 2017. Gedeão exercerá a função concomitantemente com a de titular da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), cargo que ocupa desde o início do ano, pelo mesmo motivo - uma vez que atuava como ex-presidente da entidade.
Entre as metas de gestão, Gedeão cita o estudo de implementação de um programa semelhante ao Juntos para Competir (implementado por Sperotto e focado na tecnologia voltada para a gestão da propriedade rural e o desenvolvimento da cadeia produtiva do agronegócio), que deverá ser aplicado nos setores de indústria e de comércio e serviços. "No mais, iremos seguir as orientações já implementadas pelo antigo presidente. Será uma extensão de sua gestão", afirma. "É muito bom poder contar com a atual diretoria do Sebrae-RS, que é altamente capacitada para dar a atenção aos assuntos de interesse das micro e pequenas empresas", avalia.
Em 2018, o Conselho Deliberativo Estadual da entidade já realizou a primeira reunião, que foi presidida pelo interino André Vanoni de Godoy, conselheiro titular representante do Centro das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Ciergs). "Segundo o estatuto do Sebrae, quando morre o presidente, quem assume automaticamente é o integrante com mais tempo de participação no conselho", explica o diretor-superintendente da entidade, Derly Fialho. No caso de Gedeão, a incumbência ocorre pelo fato de o gestor ter assumido também a presidência da Farsul. A cada quatro anos, há uma espécie de rodízio de dirigentes de entidades na presidência do Sebrae-RS. Apesar de não constar no estatuto, o processo é parte de um acordo entre os representantes de entidades dos setores (agropecuário, de indústria, e de comércio e serviços) envolvidos no conselho. Pela ordem, a próxima gestão da entidade deverá ser presidida por um representante da indústria - que pode ser alguém da Ciergs ou da Fiergs. "Neste caso, a eleição deverá ocorrer entre novembro e dezembro", informa Fialho.