Ibovespa fecha em alta de 1,49%, e dólar cai para patamar de R$ 3,21

Publicado em 12/01/2018 por Jornal do Comércio - RS

O Ibovespa operou nesta quinta-feira ao sabor da valorização das commodities e o bom humor que se seguiu desde a manhã nos mercados internacionais. Após dois dias consecutivos de realização de lucros, o índice à vista retornou à trajetória de alta, conseguindo retomar os 79 mil pontos, ainda que em uma pontuação abaixo do recorde histórico apurado na segunda-feira (79.378 pontos).
O pregão encerrou com o índice da principal carteira teórica apontando ganhos de 1,49%, aos 79.365 pontos. O volume financeiro, de R$ 8,501 bilhões, é considerado alto para janeiro.
A cotação dos contratos futuros de petróleo em Londres bateu os US$ 70 por barril no meio da tarde. Teve efeito direto nas ações da Petrobras que iniciaram um rali, levando a uma valorização do papel para perto de 3%. Os investidores também consideram a melhora da gestão da petroleira. A sessão encerrou com as ações ON ganhando 2,47% e PN, 2,68%. A Vale ON, por sua vez, também subiu (1,95%) refletindo o preço do minério de ferro à vista no porto de Qingdao, na China, em alta de 0,98%. O bloco do setor financeiro também ganhou destaque nesse pregão, com Banco do Brasil ON subindo quase 2,28%. No ano, os ganhos com estes papéis chegam a 7%.
O dólar caiu ante o real pelo segundo dia seguido, para o patamar de R$ 3,21, o menor em 2018 e o mais baixo desde 28 de novembro de 2017. O dólar à vista fechou em baixa de 0,61%, a R$ 3,2156. O giro foi de US$ 1,180 bilhão. No mercado futuro, o dólar para fevereiro terminou caiu 0,43%, a R$ 3,2235.
.