IFC empresta US$ 55 milhões à usina Jalles Machado

Publicado em 07/12/2017 por Valor Online

A sucroalcooleira Jalles Machado, uma dos maiores exportadoras de açúcar orgânico do país, firmou ontem um contrato com a International Finance Corporation (IFC), braço do Banco Mundial, pelo qual receberá um financiamento de US$ 55 milhões para apoiar seu plano de expansão. Desse montante, US$ 35 milhões serão financiados diretamente pela IFC por oito anos, enquanto US$ 15 milhões serão financiados pelo Rabobank por sete anos e US$ 5 milhões pelo A BN Amro por cinco anos. Todos os empréstimos terão carência de três anos. A operação contou com consultoria da FG/A, de Ribeirão Preto. Os recursos serão utilizados para investimentos na área agrícola que complementam aportes em curso na área industrial. No ano passado, a Jalles Machado iniciou a expansão de sua capacidade de moagem de cana em uma de suas duas usinas, de 1,8 milhão de toneladas para 2,2 milhões de toneladas, e construiu uma fábrica de açúcar. Para tal, a companhia recebeu empréstimo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Fundo do Centro-Oeste (FCO). O aporte da IFC complementará esse investimento e financiará a expansão da área com cana em 3 mil hectares e a implantação de um sistema de irrigação - considerado fundamental pelo fato de a empresa estar no Cerrado. A Jalles Machado já irriga algumas áreas na entressafra para garantir que a cana rebrote para a safra seguinte e pretende expandir a prática para assegurar produtividade. Para a Jalles Machado, os recursos da IFC representam mais um passo na diversificação de fontes de financiamento. Desde 2014, a companhia já levantou mais de R$ 300 milhões com emissões de recebíveis. Atualmente, está em aberto uma emissão de recebíveis do agronegócio, coordenado pela XP Investimentos e estruturado pela FG/A, de R$ 100 milhões. Procurada, a empresa informou estar em período de silêncio. O movimento de diversificação das fontes de financiamento entre as usinas é reflexo da redução da oferta de crédito subsidiado, o que também é uma oportunidade para a IFC avançar no setor. No último ano fiscal (encerrado em 30 de junho), o setor sucroalcooleiro representou 77% (US$ 135 milhões) dos aportes no agronegócio brasileiro. A participação do setor sucroalcooleiro no portfólio da IFC é de quase 50%. De acordo com Luiz Daniel de Campos, executivo de investimentos em agronegócios da IFC no Brasil, a fatia do setor sucroalcooleiro aumentou nos últimos anos e agora deve ficar estável. Segundo Campos, o setor tem participação elevada na carteira do IFC porque é um negócio intensivo em capital e porque mitiga mudanças climáticas, preocupações da organização em suas prospecções de oportunidades. Recentemente, a IFC revisou seus critérios e decidiu priorizar companhias com tradição no setor e em boa situação financeira.