Com maior apetite ao risco, bolsas da Europa operam em alta

Publicado em 12/02/2018 por IstoÉ Dinheiro

As principais bolsas da Europa operam em alta firme na manhã desta segunda-feira, impulsionadas pela recuperação dos mercados americanos na sexta-feira e pela alta dos futuros de Nova York. Às 7h55(de Brasília), o índice pan-europeu Stoxx 600 tinha alta de 1,48%, aos 374,06 pontos.

O bom humor nos mercados acionários deriva do rali das bolsas de Nova York na última hora da sessão na sexta-feira, após uma semana turbulenta e volátil. Depois de dois dias de forte tombo (segunda e quinta-feira), o clima de negócios ficou mais tranquilo nos Estados Unidos, com analistas afirmando que a correção para baixo dos preços dos ativos, neste momento, pode ter tido uma pausa.

Neste contexto de mais busca pelo risco, até mesmo as commodities, afetadas recentemente por sinais de aumento de produção, recuperaram terreno durante a sessão asiática. O barril do petróleo WTI superou o nível de US$ 60 e o cobre subiu mais de 2%.

"O foco permanece no sentimento de risco após as grandes quedas dos preços das ações na semana passada", escreveram, em nota, os analistas da equipe de pesquisa do dinamarquês Danske Bank.

Contribui ainda para o otimismo dos mercados europeus nesta manhã a entrevista da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, no final de semana. À TV pública ZDF, a líder disse que os conservadores continuarão a moldar as políticas orçamentárias, mesmo após a saída do partido do Ministério das Finanças.

Assim, a Bolsa de Frankfurt é que mais se destaca entre os ganhos das praças europeias. O índice DAX marcava 12.352,06 pontos (+2,02%) às 7h55.

O índice FTSE 100, de Londres, subia para 7.186,94 pontos (+1,33%). O CAC-40, de Paris, avançava para 5.161,17 pontos (+1,61%). O IBEX-35, de Madri, marcava 9.802,60 pontos (+1,69%). O FTSE-Mib, de Milão, tinha alta a 22.429,73 pontos (+1,19%). O PSI-20, de Lisboa, operava em 5.394,98 pontos (+1,89%).

Na agenda prevista, o único destaque desta segunda-feira em solo europeu são os dados mensais da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), às 9h20 (de Brasília). Nos Estados Unidos, às 14h, a administração de Donald Trump vai divulgar os detalhes do plano de US$ 200 bilhões em investimentos em infraestrutura para os próximos dez anos.