Negócios

Publicado em 10/01/2018 por A Gazeta - MT

A empresa Amaggi, do ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), foi que arrematou a fazenda Itamarati Norte, que havia ido a leilão judicial no ano passado. A multinacional, que já arrendava as terras, localizadas na região de Campo Novo do Parecis, teria pago mais de R$ 2 bilhões pelos mais de 100 hectares da propriedade.
A fazenda pertencia aos herdeiros de Olacyr de Moraes, o "rei da soja", que faleceu em 2015. O motivo do leilão foi uma dívida com a John Deere. A Itamarati Norte havia sido dada como garantia.

Lobby

Na lista de perguntas, Wellington Fagundes aparece como sendo um dos parlamentares que teriam feito lobby em favor da empresa Rodrimar, a quem interessava que o decreto presidencial prorrogasse os prazos das concessões realizadas antes de 1993. Segundo reportagem da revista Época, a articulação acabou não tendo o resultado desejado.

Biometria

Os servidores da Justiça Eleitoral que passaram boa parte de 2017 ociosos, aguardando que eleitores de Cuiabá interessados em fazer a revisão biométrica procurassem os locais de coleta das digitais, agora, estão enfrentando críticas daqueles que deixaram o compromisso para a última hora.

Troca

Fávaro, aliás, inicia seu período de férias nesta quarta-feira (10), data em que o governador Pedro Taques (PSDB) reassume o comando do Palácio Paiaguás. O vice-governador vai viajar com a família, "pegar uns dias de praia", segundo ele próprio, e se desligar completamente de assuntos relacionados à política. O retorno ao trabalho deve ser no próximo dia 25.

Citado

O senador Wellington Fagundes (PR) é um dos citados pela Polícia Federal na lista de perguntas encaminhadas ao presidente da República, Michel Temer (PMDB), sobre um decreto que altera as regras de concessões do setor portuário. A suspeita contra o peemedebista é de recebimento de propina.

Última hora

Nesta terça-feira (9), filas gigantescas foram registradas em pontos de atendimento da Justiça Eleitoral na Capital. A principal reclamação é a quantidade limitada de senhas distribuídas. Para quem não conseguiu atendimento nesses últimos dias de prazo vale uma lembrança: o cadastro biométrico está sendo realizado em Cuiabá desde 2015.

Recado

Ano de eleição, 2018 começou com um recado da juíza da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, Selma Arruda, nas redes sociais: "bandido bom, é bandido inelegível". A mensagem de apoio à Operação Lava Jato, da Polícia Federal, compartilhada pela magistrada também se encaixa perfeitamente no cenário mato-grossense.

Colhendo frutos

Os dias como chefe do Poder Executivo serviram para o vice-governador Carlos Fávaro (PSD) colher os frutos de um trabalho que vinha sendo encabeçado por ele desde o ano passado: as estratégias para reabertura de plantas frigoríficas no Estado. Como governador interino, o pessedista recebeu, na semana passada, a diretoria do grupo Frigol, quarto maior do país, que arrendou a planta frigorífica de Juruena. Prevista para ocorrer em fevereiro, esta será a oitava reabertura de uma planta em Mato Grosso desde os fechamentos em série promovidos pela JBS.