Rompendo o preconceito na estética

Publicado em 11/11/2017 por Folha de Londrina


Gustavo Carneiro
Gustavo Carneiro - Para os homens modernos, cuidar de si não é uma questão feminina e sim de saúde  e autoestima
Para os homens modernos, cuidar de si não é uma questão feminina e sim de saúde e autoestima


"Alô, vocês atendem homem também ou só mulheres?", "Alô, é normal vocês atenderem homens?", "Oi, eu queria saber a porcentagem de homens que vocês atendem aí!". Parece estranho, mas é assim que muitos homens fazem contato pela primeira vez nas clínicas estéticas. Derrubar barreiras e desconstruir preconceitos também fazem parte da personalidade do homem e o cuidar-se está entre os inúmeros muros criados que precisam ser desmontados.
PUBLICIDADE

Na clínica de estética Dra. Paula Palma, de 2.985 procedimentos realizados no mês, apenas 102 foram feitos em homens. Entre os procedimentos mais buscados estão os que tratam a calvície, gordura localizada, estrias, depilação definitiva e limpeza de pele, incluindo "o adolescente que vem para tratar a acne até o adulto que vem para tratar flacidez facial ou gordura localizada", contabiliza a proprietária e fisioterapeuta Paula Palma.

A especialista acredita que a preocupação estética faz parte do comportamento do homem de hoje. "O homem moderno se cuida mais e isso é bom para todo mundo", conta explicando que a disfunção estética pode refletir um distúrbio da saúde e que, na maioria das vezes, é a indicação do corpo para algum problema, por isso a importância do cuidar-se.

Ao mesmo tempo, a fisioterapeuta acredita que muitos homens gostariam de realizar algum procedimento, mas não têm coragem. "A maioria que vem não tem problema em dizer, mas temos muitos pacientes que fazem escondido", explica. Por conta disso, já viu situações constrangedoras. "O paciente veio e encontrou um colega de trabalho. Aí eles pedem para a gente dizer que não estão fazendo nada estético, que apenas vieram ao dentista", relata.

A supervisora e biomédica Marina Valotto afirma que a clínica não faz distinção entre tratamentos ? os mesmos oferecidos para mulheres são oferecidos para homens. Carboxiterapia, luz pulsada, limpeza de pele, botox, criolipólise, lipo injetável, entre outros, todos podem ser realizados para ambos os sexos. "O homem chega tímido e, conforme ele vê como funciona, percebe a postura dos profissionais, ele vai descobrindo que não tem problema", afirma Valotto.

Ainda assim, alguns têm em seu cadastro a observação "não ligar para confirmar o horário", pois não querem que as esposas ou amigos descubram que estão realizando algum procedimento. "Em pleno século 21, eu vivencio isso todos os dias, muitos homens perguntam e esperam ser ofendidos, mas para nós tanto faz se é homem ou mulher", argumenta Valotto.

Apesar de compreender e respeitar, Palma entende que a estética para o público masculino não tem porquê ser ainda um tabu. "É questão de se cuidar. Não tem hoje o que é de homem e de mulher, estética também engloba isso. Eu acredito que o cuidado que se tem com o corpo está relacionado ao cuidado que você tem em outras áreas da vida: trabalho, casa, filhos. É um reflexo da sua personalidade", afirma.