Aplicativo desenvolvido para pacientes permite comunicação direta com profissionais da saúde e familiares

Publicado em 31/10/2018 por PlanodeSaudeNota10

Um aplicativo foi desenvolvido para facilitar a comunicação entre pacientes e profissionais da saúde. O app, SAPE, também oferece interação com os familiares dos pacientes, que podem solicitar desde um copo d’água até pedir socorro.
Com isso, torna-se mais facilitada a comunicação sempre que for necessário falar com parentes ou com os profissionais de saúde. Trata-se do Sistema de Apoio à Pessoa Especial.
APP Saúde.jpg
Como o SAPE funciona?
São mais de 1 bilhão de pessoas no mundo todo que possui um tipo de deficiência, sendo que a maior parte delas moram em países que estão em desenvolvimento. Para contribuir com essas pessoas especiais, foi criado o SAPE, facilitador e integrador social.
O Sistema de Apoio à Pessoa Especial foi desenvolvido por três analistas da Baixada Fluminense. O app conta com uma interface bonita, intuitiva e simples de utilizar, oferece um teclado terapia, ou seja, pode ser utilizado também para exercícios de fala ou memória por meio de recursos gráficos e também ajuda os pacientes a pedir ajuda.
O SAPE também vem com uma tecnologia que faz o reconhecimento de voz, de forma avançada. Com o Google Cloud Speech-to-Text, é possível converter áudio em texto, por meio de modelos de redes neurais avançados.
Também conta com os recursos Anjo da Guarda, ou seja, ele informa a localização do paciente ao seu administrador através de uma plataforma, Google Maps. Além disso, tem também os recursos Pranchas de Comunicação, ou seja, unem as necessidades que o paciente tem com maior frequência, distribuindo-as em categorias, como: humor, alimentação, saúde e outras.
O aplicativo pode contribuir com pacientes que estão em tratamento residencial, como também com os que estão internados, independente se possuem ou não convênios médicos.
Como o SAPE vai ajudar os pacientes
APP Saúde2.jpg
Diogo Guimarães, um dos idealizadores do app, relatou uma experiência familiar, em que um tio sofreu AVC e não conseguia se comunicar com os familiares. Foi então que desenvolveram a ideia, em 2011, de criar esse aplicativo, na época, chamado de Sace, Sistema de Apoio à Comunicação Especial, voltado para pessoas com deficiência auditiva.
Nessa época, o app fazia parte do tema da monografia de Daniel Guimarães, que sempre curtiu jogos e, após a sugestão de Diogo, criou o sistema. Embora tenha feito sucesso, tanto que o projeto foi apresentado em diferentes eventos, por falta de recursos a criação ficou parada, mas patenteada.
Foi em 2017 que o trio optou por retomar o projeto, buscando atingir um público mais amplo, ou seja, além dos deficientes visuais. Com o SAPE, pacientes com Mal de Alzheimer e AVC podem reaprender a falar, bem como solicitar algo aos médicos ou familiares. Isso porque o app conta com uma categoria de repetição de palavras.
Além disso, durante o desenvolvimento do aplicativo de saúde, os analistas realizaram diversas entrevistas com profissionais das áreas de educação e saúde. Moacir Santos teve convicção de que o app poderia ir mais longe e alcançar pessoas de diferentes necessidades.
Vale saber que o SAPE está em fase de testes, embora já esteja concluído. De acordo com Diogo, eles têm como intuito recrutar pessoas para realizar os testes e as inscrições seguem até o mês de novembro.

"O aplicativo pode contribuir com pacientes que estão em tratamento residencial, como também com os que estão internados, independente se possuem ou não convênios médicos."

Por: Andreia Silveira, do site PlanodeSaudeNota10.