Dia das Mães: A arte de criar sem complexos

Publicado em 11/05/2018 por El País

Um guia para desfrutar do papel de pais, antecipando as necessidades do bebê e se distanciando de julgamentos, falsos mitos e ideias preconcebidas.


Quando a médica espanhola María Angustias Salmerón foi mãe pela primeira vez e ficou sozinha com a filha, de pouco lhe serviu sua ampla formação como pediatra. Ela se deu conta de que era invadida pelas mesmas dúvidas das outras mães e que muito do que havia lido não explicava coisas que tinha urgência de saber. Eram muitas as recomendações estranhas (inclusive por parte de alguns profissionais da saúde ou de pessoas que nem sequer tinham filhos) e ela descobriu a falsidade de muitos mitos que a impediam de desfrutar plenamente dessa nova pessoazinha que havia posto de pernas para o ar sua lista de prioridades. Daí surgiu o blog mimamayanoespediatra e, recentemente, o livro Criar Sin Complejos (Criar Sem Complexos, ainda sem edição em português), no qual foge de dogmas inabaláveis sobre como fazer as coisas, desmonta essas crenças e facilita encarar a criação do ponto de vista do bebê e de suas necessidades, “sem posicionamentos, sem culpabilidades e tratando de todos esses temas que muitas vezes ninguém explica”.

À medida que María foi adentrando a maternidade, viu que existiam muitas correntes e que cada uma recomendava uma coisa diferente. Mas nenhuma explicava o que é realmente um bebê, que necessidades tem e por que se comporta assim. “Quando um livro diz como você tem de agir e dá diretrizes fechadas, provavelmente se engana porque servirá a alguns pais, mas a outros, não. O modo como você faz as coisas depende muito de como é o seu bebê e de como você é, de tudo o que você viveu e de como você se comporta em outras esferas da vida. No final, há muitos caminhos corretos.” E, sobretudo, afirma, é importante que estejamos conscientes de que não somos nem seres nem pais perfeitos, que cometeremos erros e que fica tudo bem.

Para ler a matéria completa clique aqui