10 formas comprovadas para aprender mais rápido

Publicado em 01/12/2018 por Link to Leaders

Conheça alguns métodos para facilitar o processamento e armazenamento de nova informação e aprender mais rápido.

Independentemente das áreas em que nos encontramos, aprender é uma das competências mais importantes. Na verdade, segundo um estudo do LinkedIn, esta é a melhor forma de manter os colaboradores de uma empresa mais felizes: dando-lhes a possibilidade de continuarem a aprender.

Contudo, há um entrave transversal a qualquer profissional. Aprender leva tempo e este é dos poucos recursos em falta no mundo laboral. E foi por este motivo que Deep Patel, autor do livro "A Paperboy's Fable: The 11 Principles of Sucess", listou as 10 formas comprovadas para aprender mais rápido num artigo da publicação Entrepreneur. São elas:

Tire notas com caneta e papel
Apesar de poder parecer mais enriquecedor tirar notas numa conferência utilizando o portátil ou telemóvel, há estudos que mostram o contrário. Para aprender mais rápida e eficazmente durante uma conferência é preferível escrever à mão.

Investigações demonstraram que as pessoas que utilizam o portátil para tirar notas retêm menos informação do que aquelas que utilizam papel e caneta. Apesar de ser um método mais lento, melhora a compreensão e retenção de informação.

Eficiência em tirar notas
Quanto melhores forem as notas, mais rapidamente vai aprender. Portanto, antes de aprender um novo tópico, tenha a certeza que aprende novas estratégias para tirar notas. Um método conhecido é o Cornell, que ajuda à organização das notas. Mas, caso não tenha interesse em aprender um novo método, tenha em consideração estes pequenos passos:
- Oiça e tire notas utilizando as próprias palavras;
- Deixe espaço e linhas entre ideias principais para poder relê-las mais tarde e adicionar nova informação;
- Desenvolva um sistema consistente de abreviações e símbolos para poupar tempo;
- Escreva em tópicos, não em frases completas;
- Anote a informação mais importante e ignore a informação trivial.

Distribuir a matéria por diferentes sessões
Este método envolve distribuir sessões de estudo num tópico ao longo do tempo. Ao contrário de estudar por longos períodos, fazer pequenas lições espaçadas fomenta uma aprendizagem mais sólida e significativa.

O primeiro passo é tirar notas enquanto o tópico está a ser discutido. Mais tarde, volte a ler os apontamentos e -  caso seja necessário - a adicionar informação para ter a certeza que tem todo o detalhe e precisão necessários.

Este método é especialmente útil para as pessoas que costumam ter muitas reuniões que necessitem de seguimento ou para alunos. A recomendação de Deep Patel passa por introduzir este hábito no seu dia-a-dia e começar a fazê-lo cada vez com mais frequência.

Estudar, dormir e estudar
Investigações mostram uma grande ligação entre dormir e aprender. Ao que parece, se dormir profundamente até 12 horas depois de ter aprendido algo novo, o sono vai fortalecer as suas memórias. Além disto, está provado que os estudantes que estudam e dormem muito não só têm melhores performances académicas, como também são mais felizes.

Modifique a sua prática
Se estiver a aprender uma nova competência, é boa ideia ir modificando o método de aprendizagem. Fazer pequenas alterações durante sessões repetitivas pode ajudá-lo a aprender mais rápido do que utilizar sempre o mesmo procedimento. Contudo, isto só funciona quando há pequenas modificações. Fazer grandes alterações à sua metodologia não ajuda.

Experimente um auxiliar de memória
Um dos melhores métodos para decorar uma grande quantidade de informação é utilizar auxiliares de memória - ou mnemónicas. Procure encontrar padrões de letras, sons ou outro tipo de associações que possam auxiliá-lo a aprender mais rápido.

Faça pausas para repor o foco
De forma a aprender algo novo, o cérebro tem de enviar sinais para os nossos recetores sensoriais para guardar nova informação. No entanto, a sobrecarga de dados pode fazer com que entremos em stress ou em sobrecarga, o que prejudica o processamento e armazenamento de informação.

Patel refere que quando estamos confusos, ansiosos ou nos sentirmos sobrecarregados, o nosso cérebro "desliga-se". Um exemplo disto são os alunos com aulas muito prolongadas que, eventualmente, deixam de ouvir aquilo que é dito devido a esta superabundância de informação. Para prevenir este tipo de situações, faça uma pausa. Caso não consiga sair do lugar, o conselho de Patel passa por se focar noutra coisa, nem que seja por cinco minutos.

Mantenha-se hidratado
Manter o corpo hidratado não só é bom para o nosso sistema imunitário e pele, como também para ajudar as habilidades cognitivas. O autor chega a dizer que "beber água pode tornar-nos mais espertos", citando um estudo que testou o desempenho de alunos hidratados e não-hidratados num exame.

Aprenda de várias maneiras
Quando nos esforçamos por aprender de várias maneiras estamos a utilizar várias zonas do nosso cérebro para armazenar informação sobre um certo tema. Isto faz com que a informação fique interligada e embutida no nosso cérebro, o que facilita a aprendizagem e o armazenamento.

O processo pode ser feito de várias maneiras. Por exemplo, se estiver a estudar sobre a criação de um plano de negócios, em vez de se restringir a ler livros, pode ver vídeos e ouvir podcasts sobre o tema. Quanto maior for a variedade de recursos utilizados, maior a rapidez com que vai aprender.

Conecte o que aprendeu com algo que já conhece
Quanto maior for a sua facilidade de ligar novos conceitos a ideias que já tem presentes, mais rapidamente será capaz de aprender nova informação. Segundo o livro "Make It Stick", muitos dos hábitos de estudo que criamos ao longo do tempo são contraproducentes porque criam uma ilusão de masterização, mas a informação desaparece rapidamente.

É por isso que encontrar novas formas de introduzir a informação em ideias que já estão solidificadas é uma ótima forma de introduzir novas camadas ao material já existente e, por consequência, de aprender mais rápido o que está a estudar.

Sobre o autor