Abandonar as fraldas descartáveis é bom para o bolso, diz empreendedora

Publicado em 14/11/2017 por Folha de S. Paulo Online

Publicidade

Além de proteger o meio ambiente, trocar as fraldas descartáveis pelas de pano modernas é econômico.

Imaginando um preço unitário de R$ 0,80 por fralda descartável tradicional, e multiplicando por 5 mil fraldas usadas em 2 anos, o custo seria de R$ 4 mil. As fraldas descartáveis biodegradáveis podem custar bem mais caro, até cerca de R$ 2,50 a unidade.

No mesmo período, usando 20 fraldas de pano a um custo de R$ 58,00, o valor seria de R$ 1.160,00. Adicionando gasto de R$ 450,00 de água, energia e sabão, o total de gastos com fraldas de pano fica em menos de R$ 2 mil. A conta é feita pela empreendedora Ana Paula Silva, a inventora das fraldas ecológicas da Morada da Floresta e detentora de uma patente verde.

Divulgação
Ana e Bela exibem as fraldas da coleção Bela Gil, parceria com a Morada da Floresta
Ana Paula Silva e Bela Gil exibem as fraldas de pano da nova coleção da Morada da Floresta

Filha de costureira, Ana Paula começou a costurar para fazer seus próprios absorventes, por preocupação ecológica. Em 2008, nasceu a filha Violeta e a mãe de Ana fez as primeiras fraldas de pano para a neta.

Em 2009 começaram as vendas. Entre erros e acertos apontados por mães e pais que usaram as fraldas em seus bebês, a empresa resolveu fazer um tamanho único reajustável. Com elásticos caseados, as fraldas podem acompanhar os bebês dos 5kg aos 17kg, o equivalente a 2 anos.

"Nossa modelagem, lançada em 2010, recebeu uma patente verde, concedida por dois motivos: o desenvolvimento de um formato próprio e original e o fato de a solução diminuir os impactos no meio ambiente", conta Ana Paula.

"Pesquisamos matérias primas brasileiras que nunca tinham sido usadas para esse fim, como o Melton, tecido bem absorvente, para reter o xixi, e os tecidos de poliamida para a parte de fora da fralda".

Os tecidos do revestimento externo, explica Ana Paula, são usados para fazer sungas e biquinis que não ficam encharcados nem deixam passar líquidos. A opção com dois panos segue sendo comercializada na Morada, assim como a coleção feita em parceria com Bela Gil.

Dez costureiras dão conta da produção da empresa, que vende cerca de 1.000 fraldas por mês. Contabilizando as vendas desde 2009 até este mês, foram cerca de 5 milhões de fraldas descartáveis a menos nos aterros.

Ana Paula diz que as vendas estão crescendo e não só para a Morada. Há mais marcas no mercado. O difícil, segundo ela, é concorrer com as fraldas de pano importadas da China, que têm preço muito mais baixo.

MERCADO

O mercado de fraldas descartáveis é dominado por grandes marcas e teve faturamento de aproximadamente R$ 4,06 bilhões em 2015. Segundo as estimativas feitas pela Morada da Floresta, a parte das fraldas modernas - vendidas prontas - deve ter faturado cerca de R$ 3 milhões em 2016.

Pesquisa Nielsen divulgada em junho de 2016 aponta que de um universo de 7 milhões de lares brasileiros em que há bebês, as fraldas descartáveis correspondem a 96% do mercado. Os 4% restantes se dividem entre os lares que usam fraldas de pano e descartáveis (3%) e apenas fraldas de pano (1%).

Nesses números, não estão diferenciadas as fraldas de pano tradicionais das modernas, vendidas prontas, costuradas e com botões para fechamento.