Aumenta a aposta em multiunidades

Publicado em 03/12/2018 por Valor Online

Aumenta a aposta em multiunidades

Levantamento da Associação Brasileira de Franchising (ABF) e do Grupo de Estudos de Franquias (Franstat), da Universidade de São Paulo (USP) de Ribeirão Preto, indica que cresce o número de empresários com mais de uma franquia da mesma marca ou de bandeiras diferentes. O percentual de redes que atuam com proprietários de dois ou mais pontos subiu de 68,5%, em 2016, para 84%, em 2018. Já o total de empresas com franqueados que representam vários fornecedores passou de 38% para 54%, no mesmo período.

Para a ABF, o movimento reflete tendência internacional, já observada nos Estados Unidos, e que se acentuou no Brasil nos últimos três anos, em parte por causa dos reveses da economia. Na avaliação da entidade, contar com parceiros experientes, com um histórico de bom desempenho, acelera a expansão das companhias e evita o fechamento de lojas. Para se ter uma ideia, existem feiras internacionais de negócios, como a Multi-Unit Franchising Conference, realizada há 19 anos e dedicada exclusivamente a franqueados com várias operações.

A pesquisa nacional indica que, em média, as redes analisadas tem até 28 franqueados multiunidades, com lojas de uma mesma marca, e até cinco franqueados com negócios de várias companhias.

Gabriel Antonini, franqueado da 5àsec, tem 12 pontos da rede de lavanderias em São Paulo e Barueri (SP). O primeiro foi aberto em 2014. "Para escolher, levei em consideração o modelo de negócio e a saúde financeira da empresa", diz. No ano passado, faturou cerca de R$ 4,5 milhões com as lojas e projeta um crescimento de 5% a 10% em 2018. Novas aquisições não estão descartadas em 2019. A 5àsec tem 443 unidades em todos os Estados.

Para quem deseja administrar mais de um ponto, a orientação de Antonini é planejar o crescimento. "É essencial preparar a equipe para absorver novas atividades, além de ter um sistema de gestão com indicadores de desempenho de cada loja."

Carlos Alexandre Gomes, diretor da rede de franquias Banneg- Banco de negócios, de financiamento para veículos, imóveis e empréstimos consignados, afirma que o multifranqueado pode obter vantagens como descontos para a aquisição de mais unidades. A rede tem 113 pontos e, do total de franqueados, mais da metade ou 62 têm mais de uma operação.

O Banneg iniciou o sistema de franquias no final de 2017 e atua em 20 Estados e no Distrito Federal. Encerrou o ano passado com quatro novas unidades e deve chegar a 130 até o final do ano. Para 2019, a expectativa é alcançar 300 pontos. Recentemente, passou a operar no agronegócio, facilitando a compra de máquinas e a realização de benfeitorias, como construção, reforma e irrigação de fazendas.

Paulo Zahr, fundador da rede de clínicas odontológicas OdontoCompany, fundada em 1990, afirma que, do lado das marcas, é importante manter multifranqueados porque, geralmente, são empreendedores dedicados ao negócio. "Eles conhecem bem a operação, sabem o que funciona e quais estratégias adotar", diz.

Do total de parceiros da marca, 30% são multifranqueados que têm, em média, três unidades. Mas há casos de um empresário em Santa Catarina com 13 pontos e outro em São Paulo, com onze. A OdontoCompany, com sede em São José do Rio Preto (SP), atingiu a marca de 500 unidades comercializadas, sendo 376 ativas, em 20 Estados e no Distrito Federal. Abriu 96 clínicas em 2017 e a previsão para 2018 é inaugurar 144 pontos.

"Temos um treinamento específico de gestão para quem é multifranqueado, com diretrizes para gerar sinergia entre as unidades", diz Zahr. "O objetivo é reduzir o custo de captação de clientes e ampliar a margem de negociação com fornecedores."

O valor do investimento total para novos franqueados da marca começa em R$ 189 mil, com um prazo de retorno entre 20 e 24 meses. São recomendados de cinco a nove funcionários por clínica, com faturamento médio mensal a partir de R$ 67 mil.

Luiz Rocha, franqueado da OdontoCompany desde 2012, é dono de dez clínicas da rede, das quais sete estão em operação e três serão abertas em 2019, todas no Estado do Rio de Janeiro. "Estava em busca de franquias odontológicas, por ser um mercado em ascensão, e optei por uma empresa que oferecesse apoio ao franqueado, além de lucratividade comprovada", explica.

Rocha faturou R$ 12,7 milhões com seis unidades, em 2017, e deve chegar a R$ 19,5 milhões de faturamento, com sete pontos, em 2018. O empreendedor costuma investir em clínicas consideradas grandes, a partir de dez "cadeiras" de atendimento. "Por mais que o franqueador dê todo o suporte de gestão, é preciso estar à frente do negócio e trabalhar duro", diz.