Bolsas asiáticas fecham majoritariamente em baixa, após dados chineses fracos

Publicado em 14/11/2017 por IstoÉ Dinheiro

As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam majoritariamente em baixa nesta terça-feira, com as da China pressionadas por indicadores macroeconômicos considerados fracos e a da Austrália influenciada principalmente por uma queda no setor petrolífero.

A produção industrial e as vendas no varejo da China avançaram em ritmo mais fraco em outubro, segundo dados oficiais divulgados nesta madrugada. Na comparação anual, a indústria chinesa produziu 6,2% mais em outubro, desacelerando ante o ganho de 6,6% observado em setembro. No varejo, houve aumento anual de 10% nas vendas de outubro, menor que a alta de 10,3% do mês anterior. Além disso, os investimentos em ativos fixos subiram 7,3% entre janeiro e outubro ante o mesmo intervalo do ano passado, perdendo força ante a alta de 7,5% que se viu no acumulado até setembro.

Ainda que os números de indústria e investimentos tenham vindo em linha com as expectativas, os mercados chineses terminaram o pregão no vermelho. O Xangai Composto recuou 0,53% hoje, a 3.429,55 pontos, depois de acumular valorização por seis pregões seguidos e atingir máxima em 22 meses ontem, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto caiu 0,95%, a 2.025,78 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana foi derrubada por ações de petrolíferas, ainda que os preços do petróleo não tenham mostrado variação significativa em Nova York e Londres nos negócios de ontem. O S&P/ASX 200 teve perda de 0,93% em Sydney, a 5.966,00 pontos, voltando a ficar abaixo da barreira psicológica de 6 mil pontos.

Em outras partes da região asiática, a bolsa japonesa ficou porcentualmente estável, com o Nikkei a 22.380,01 pontos, após registrar quatro quedas consecutivas, enquanto o sul-coreano Kospi cedeu 0,15% em Seul, a 2.526,64 pontos, e o Hang Seng teve baixa de 0,10% em Hong Kong, a 29.152,12 pontos, mas o Taiex registrou ganho marginal de 0,03% em Taiwan, a 10.687,18 pontos, e o filipino PSEi subiu 0,60% em Manila, a 8.379,64 pontos.

Foi nas Filipinas que o presidente dos EUA, Donald Trump, encerrou hoje um giro pela Ásia que teve início no dia 6 e incluiu Japão, Coreia do Sul, China e Vietnã. De Manila, Trump tuitou que todos os países que fazem comércio com os EUA "sabem que as regras mudaram". Na volta para Washington, Trump terá de lidar com difíceis negociações para aprovar um plano de reforma tributária no Congresso americano, assunto que vem causando nervosismo nos mercados financeiros. Com informações da Dow Jones Newswires.