Bolsas da Europa operam em baixa e libra segue em foco, de olho no Brexit

Publicado em 09/08/2018 por IstoÉ Dinheiro

As bolsas europeias mostram volatilidade nas horas iniciais do pregão desta quinta-feira, mas o predomínio é de movimentos negativos. Recuos nos setores de telecomunicações, cuidados com saúde e petróleo e gás puxavam o mau humor, com o comércio global em destaque, após uma avaliação cautelosa do Banco Central Europeu (BCE) sobre o quadro, em boletim econômico divulgado mais cedo. No câmbio, a libra chegou a bater mínima ante o dólar mais cedo por causa dos temores com a saída do Reino Unido da União Europeia, o chamado Brexit, mas reduzia perdas, oscilando perto da estabilidade.

Às 6h55 (de Brasília), o índice pan-europeu Stoxx 600 tinha baixa de 0,14%, em 389,16 pontos, em um dia sem indicadores de destaque.

O BCE afirmou que os riscos para a economia global se intensificaram, em meio a ameaças e tarifas. O movimento deflagrado pelo governo do presidente americano, Donald Trump, de busca por “comércio justo”, gera cautela nos mercados. Embora o que foi anunciado até agora não tenha impacto tão significativo, há o temor de que tarifas e retaliações, sobretudo entre EUA e China, gerem dificuldades maiores. Além disso, a simples dúvida sobre o assunto piora o sentimento e retarda decisões de investimento. A União Europeia, nesse contexto, tem dialogado com a administração americana para tentar evitar problemas maiores para suas exportações, notadamente no setor automotivo.

Entre as ações em foco nesta manhã, Thyssenkrupp recuava 0,56%, na Bolsa de Frankfurt. A companhia informou mais cedo que reverteu lucro e registrou prejuízo líquido de 131 milhões de euros (US$ 152 milhões) no trimestre até julho. O papel do conglomerado industrial chegou a subir depois do balanço, que mostrou também alta nas vendas na comparação anual, mas não mostrou fôlego. Entre outros papéis de setores em destaque, a petroleira Total recuava 0,31% em Paris, o papel da Sanofi, do setor de saúde, cedia 0,76%, e Telefónica caía 0,29% em Madri.

No câmbio, a libra bateu mínima em cerca de um ano em relação ao dólar nesta madrugada, de acordo com a FactSet. A moeda britânica tem sido pressionada pelas dúvidas sobre o Brexit, sobretudo diante do medo de que não exista um acordo entre o Reino Unido e a UE, o que deflagraria o chamado “Brexit duro”, com mais dificuldades para Londres manter laços comerciais com esse importante mercado consumidor. Analistas do Commerzbank julgaram em nota como “preocupante” o fato de que a mínima ocorreu mesmo sem grandes novidades no assunto e disseram que há a chance de que essa tendência de baixa acelere. Depois da mínima, contudo, a libra reduzia perdas e estava perto da estabilidade frente ao dólar.

Às 7h02 (de Brasília), a Bolsa de Londres caía 0,62%, Frankfurt avançava 0,02% e Paris tinha queda de 0,29%. Milão cedia 0,30%, Madri recuava 0,13% e Lisboa, 0,12%. No câmbio, o euro caía a US$ 1,1592, de US$ 1,1617 no fim da tarde de ontem, e a libra tinha queda a US$ 1,2888, de US$ 1,2889.