Cobre opera sem direção única, com dólar valorizado e após dados da China

Publicado em 15/05/2018 por IstoÉ Dinheiro

Os futuros de cobre operam em baixa em Londres, pressionados por uma modesta valorização do índice DXY do dólar nos negócios da manhã, mas sobem em Nova York, ensaiando uma recuperação das perdas de ontem.

Por volta das 7h10 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na LME caía 0,06%, a US$ 6.880,00 por tonelada.

Já na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em julho subia 0,16%, a US$ 3,0980 por libra-peso, às 8h (de Brasília).

Os mercados de cobre também repercutem os últimos dados macroeconômicos da China, maior consumidor mundial deste e de outros metais básicos.

No fim da noite de ontem, Pequim divulgou dados da produção industrial chinesa que superaram as expectativas, mas números de vendas no varejo e de investimentos em ativos fixos que ficaram aquém do esperado.

Entre outros metais básicos na LME, não havia tendência única: o alumínio recuava 0,71% no horário indicado acima, a US$ 2.298,50 por tonelada, o zinco avançava 0,9%, a US$ 3.082,00 por tonelada, o níquel aumentava 0,52%, a US$ 14.450,00 por tonelada, o estanho tinha baixa marginal de 0,02%, a US$ 20.965,00 por tonelada, e o chumbo ganhava 0,08%, a US$ 2.386,50 por tonelada. Fonte: Dow Jones Newswires.