Crescimento real do setor este ano pode ser de 3,56%

Publicado em 03/12/2018 por Valor Online

Crescimento real do setor este ano pode ser de 3,56%

Adequar-se ao ambiente econômico desfavorável e à transformação digital. Esses foram, na visão de Altino Cristofoletti Jr., presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), os maiores desafios para o setor nos últimos dois anos. "As lições foram duras, as redes tiveram de revisar seus processos, investir na absorção de novas tecnologias com foco na diminuição de custos e aumento de produtividade, além de renovar a forma de lidar com o novo consumidor", afirma. "Os resultados começaram a se solidificar este ano, com entregas mais personalizadas, modelos mais enxutos, melhor seleção de franqueados, novos formatos, diversificação de pontos e início da melhora nos índices de eficiência."

Os números refletem o trabalho. O setor deve fechar 2018 com um crescimento nominal de 7,5% no faturamento em relação ao ano passado, que somou R$ 163,31 bilhões, de acordo com dados da ABF. Descontando a inflação anual estimada pelo mercado, de 3,94% (IPCA), seriam 3,56% de ganho real.

O número de redes não cresceu, permanecendo em 2800, o que revelou o cuidado das marcas em primeiro arrumar a casa para depois investir na expansão via franchising. Apesar da instabilidade do mercado, o número de unidades franqueadas deverá encerrar 2018 com alta de 5% em relação a 2017, alcançando cerca de 153.439 franquias em operação.

Os bons resultados no acumulado dos últimos 12 meses foram puxados, entre outros fatores, pelo desenvolvimento de modelos híbridos físicos/digitais e de outros canais de venda. Exatamente a receita adotada pela rede de ensino de idiomas Rockfeller, de Santa Catarina, que criou o formato de laboratório, com aulas 100% on-line acompanhadas de um tutor e horários flexíveis. "Dos oito contratos fechados em 2018, seis são no novo modelo", diz a sócia Renata Silva. Com um faturamento de R$ 31 milhões, a rede, que soma 39 unidades, projeta crescimento de 20% para 2019.

Na visão de André Faber, vice-presidente de negócios de franquia do grupo O Boticário, até meados desta década o setor viveu um período marcado pela expansão, pelo maior poder de aquisições. Nos últimos dois anos, porém, entrou na era da produtividade, com a ajuda da tecnologia. "Em 2018, o setor trabalhou na busca de novos produtos, novos sistemas capazes de melhorar a eficiência e os ganhos das redes", afirma.

O grupo intensificou a implantação dos conceitos da indústria 4.0. Na prática, a rede está muito mais conectada, o sistema de projeção de demanda totalmente automatizado. Com a ajuda da inteligência artificial o estoque do franqueados ficou mais enxuto, contando com o produto certo, na hora e no lugar certo. As marcas O Boticário e Quem Disse Berenice deverão crescer 7,5% este ano, percentual semelhante a 2017.

Na mesma linha, o Grupo Trigo, que responde pelas marcas Spoleto, Koni e Lebonton, com 448 unidades em operação, mirou menos na expansão e mais na eficiência da rede. "Para nós, 2018 foi o ano da transformação digital, trabalhamos com foco no ponto de venda e na experiência do cliente", diz o diretor Henrique Henriques.

O grupo, com sede no Rio de Janeiro, construiu uma plataforma robusta, que permitiu a instalação em dois meses de totens de autoatendimento e implantação do novo sistema de PDV em 200 unidades, das 353 da rede Spoleto; abriu novos canais de pedidos, inclusive via aplicativo mobile e, especificamente nos restaurantes da rede Koni, implementou a tecnologia de QRCode, que permite fazer o pedido e pagar na própria mesa.

Responsável pela holding SMZTO, que abriga nove marcas sob seu guarda-chuva, José Carlos Semenzato afirma que o saldo foi positivo, levando-se em conta o aperto dos consumidores e investidores. O faturamento deve somar R$ 1,45 bilhão em 2018, alta de 40% sobre 2017. "Chega a ser surpreendente em um cenário de instabilidade", avalia. O bom resultado está ligado, entre outros fatores, ao investimento da holding em setores menos impactados pela crise, como saúde, estética e beleza.