Desempenho de fundos deve manter captação de recursos em alta, diz BTG

Publicado em 09/08/2018 por Valor Online

Desempenho de fundos deve manter captação de recursos em alta, diz BTG

O BTG Pactual teve o melhor resultado trimestral histórico na área de banco de investimento, no período de abril a junho, e registrou mais um trimestre de expansão da gestão de recursos e fortunas. As duas atividades compensaram a receita abaixo da média do banco em tesouraria e a decrescente atividade de investimentos proprietários. Ontem, as units do banco subiram 1,8%, em dia de queda de 1,5% do Ibovespa.

A receita do banco aumentou 45,5% na comparação anual e caiu 5,5% em relação ao primeiro trimestre. O lucro líquido ajustado subiu 13,6% no comparativo anual, para R$ 685 milhões no segundo trimestre.

Para o terceiro trimestre, a perspectiva é de captação ainda acelerada para gestão de recursos e de patrimônio. "A captação tem sido puxada principalmente por performance. Há um movimento relevante de migração de investidores de fundos de curto prazo que rendem taxa de juros em busca de melhores retornos", diz João Dantas, diretor financeiro do BTG. O banco tem ganhado participação de mercado na indústria de fundos, que tem registrado desempenho oposto. De abril a junho, a indústria somou resgate de R$ 29 bilhões, conforme dados da Anbima.

A área de banco de investimento pode ter o ritmo desacelerado, no comparativo, considerando a proximidade das eleições e a base comparativa alta. Mas o banco tem feito novas operações de blocos de ações, emissão de dívida local e assessoria a aquisições no Brasil e em outros países da América do Sul, especialmente Chile e Colômbia, conforme Dantas. No segundo trimestre, o banco assessorou, por exemplo, aquisições da italiana Enel no Brasil e no Chile e liderou a oferta pública inicial de ações da operadora de saúde Hapvida.

No crédito corporativo, a receita aumentou 37% em relação ao primeiro trimestre, incluindo fianças em operações de fusão e aquisição, e caiu 19% na comparação anual. "Desde o início do ano temos visto oportunidade para apoiar expansão de negócios e aumento de capacidade produtiva das empresas. Não estamos financiando, no geral, capital de giro", diz Dantas. "Naturalmente, decisões de crescimento são tomadas por empresários quando têm alguma visibilidade. Então, guardadas as devidas ressalvas, esperamos aumentar a carteira no trimestre", afirma.

Em relatório, os analistas do BB Investimentos ponderaram que o bom desempenho da unidade de banco de investimento, a melhora no crédito corporativo e a divisão de gestão de ativos compensaram parcialmente os dados fracos de tesouraria do BTG, com a receita geral apresentando queda de 5,5% na comparação do segundo com o primeiro trimestre. Em teleconferência com analistas, o presidente do BTG, Roberto Sallouti, disse que o banco espera uma volta para a média na receita de tesouraria, em torno de R$ 600 milhões, sem dar estimativa de prazo. No segundo trimestre, foi de R$ 267 milhões.

Os investimentos proprietários, atividade que o banco vem reduzindo estrategicamente, tiveram receita de R$ 56 milhões, ante R$ 96 milhões no primeiro trimestre.