Gestora dos EUA investe R$ 300 mi na Bresco

Publicado em 08/11/2018 por Terra

A Bresco, empresa de investimento imobiliário com foco no segmento corporativo, que tem entre os sócios os fundadores da Natura, terá um novo acionista. Liderada por Carlos Betancourt, a companhia acaba de receber um aporte inicial de R$ 300 milhões da Jaguar Growth Partners, gestora de investimentos americana. A Bresco não detalha o tamanho da participação que terá o novo sócio nem o total do investimento a ser feito. Afirma apenas que, com a entrada da Jaguar, seu portfólio, hoje de R$ 2 bilhões, deve dobrar de tamanho em três anos.

A gestora americana tem como fundadores Gary Garrabrant e Thomas McDonald, ex-executivos da Equity International, empresa do megainvestidor americano Sam Zell, que teve uma parceria anterior com Betancourt. Até 2011, eles foram sócios na Bracor, uma das empresas líderes em propriedade corporativa do Brasil que se desfez do portfólio, vendendo US$ 1,5 bilhão em ativos em uma das maiores transações imobiliárias do País até então.

De acordo com Betancourt, para expandir a atuação da Bresco, os sócios consideraram a abrir o capital da companhia. "Mas, no último ano, optamos por atrair um parceiro global, que agregasse com capital, mas também com conhecimento". Para o executivo, o mercado imobiliário está vivendo o final de um ciclo de baixa e o novo parceiro será fundamental para a estratégia de crescimento da companhia. "Várias empresas seguraram projetos de expansão ou de novos negócios. Agora, reforçadas pela definição eleitoral, voltaram a nos chamar para rediscutir e retomar investimentos".

Setor

Segundo Eduardo Miyamoto e a Débora Costa, coordenadores de Pesquisa da consultoria imobiliária JLL, o setor, que sofreu muito nos últimos anos por excesso de oferta, caminha para uma retomada."Houve uma queda significativa na vacância, motivada pela diminuição da devolução de imóveis, pelo aumento de ocupações e diminuição das entregas de novos empreendimentos", explica Débora.

O atual portfólio da Bresco - que incorpora, desenvolve projetos, compra imóveis e depois aluga - soma 523 mil m² de propriedades corporativas, como galpões e escritórios, locadas para grandes empresas. Com a parceria com a Jaguar, a companhia planeja investir mais de US$ 500 milhões nos próximos anos. A operações da empresa no exterior - galpões logísticos no Japão e nos Estados Unidos - ficaram fora do negócio.

O maior empreendimento da empresa - principal veículo de investimento no ramo imobiliário dos sócios da Natura, Luiz Seabra, Guilherme Leal e Pedro Passos - é um parque corporativo ao lado do Aeroporto de Viracopos, em Campinas, numa área de 1 milhão de metros quadrados. Lá funciona o centro de treinamento da Azul Linhas Aéreas, o centro de distribuição da John Deere, uma unidade da Embraer, além de um hotel com a bandeira Ramada. Entre os clientes da companhia estão ainda empresas como Carrefour, Reckitt Benckiser, Grupo Casino e Magazine Luiza.

Com sede em Nova York, a Jaguar é uma gestora especializada em private equity e crédito em mercados imobiliários. Investe em plataformas e empresas no setor imobiliário que são escaláveis em economias emergentes. Hoje, a gestora tem dois fundos focados em América Latina.

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente