Governo confirma inauguração da UPA Zona Sul para 18 de maio - Diário do Amapá

Publicado em 15/05/2018 por Diário do Amapá

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Zona Sul, vai passar a funcionar a partir desta sexta-feira, 18. A data de inauguração foi confirmada pelo governador Waldez Góes nesta segunda-feira, 14, durante vistoria nas instalações da obra, localizada na Avenida Ivaldo Veras, no bairro Zerão, em Macapá.

Acompanhado das equipes técnicas da saúde e infraestrutura, o governador inspecionou toda a UPA e lembrou do longo caminho que foi necessário percorrer para chegar até o momento da entrega. “Não foi fácil construir, equipar e comprar os medicamentos e correlatos. Fico grato a todos os envolvidos nessa importante obra que vai beneficiar a nossa gente com atendimentos de urgência e emergência de média complexidade”, destacou.

O governador complementou que a UPA da Zona Sul será a primeira unidade a ser administrada por uma Organização Social de Saúde (OSS) e contará com uma estrutura completa no atendimento de complexidade intermediária, que são casos com gravidade média de urgência e emergência. “Nós iremos abrir uma lacuna importante no âmbito do diagnóstico, com um serviço altamente resolutivo, em que serão ofertados exames laboratoriais, de raio-x e ultrassonagrafia. Se necessário, o paciente já será bem encaminhado para uma unidade de alta complexidade”, anunciou.

A expectativa é que a rotatividade média seja de 4,5 mil atendimentos por mês, com funcionamento 24h. Entre os atendimentos de complexidade intermediária que serão ofertados, estão problemas de pressão, corte com pouco sangramento, queda com torsão e muita dor, queda com suspeita de fratura, febre alta, cólicas renais, intensa falta de ar, convulsão, dores no peito e vômito constante.

A UPA da Zona Sul será gerenciada pelo Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar (IBGH), que é uma entidade sem finalidade lucrativa, que colabora com o Executivo com a realização de serviço público. A parceria possibilitará o melhor atendimento ao usuário e economia no que diz respeito à compra de medicamentos, correlatos e equipamentos.

O secretário de Estado da Saúde (Sesa), Gastão Calandrini, reforçou que com a entrega da UPA, o estado consegue desafogar o Hospital de Emergência (HE) de Macapá, onde 60% dos atendimentos deveriam ser resolvidos na atenção básica.  “Com a implantação desse novo modelo de gestão, a nova UPA irá descentralizar, humanizar e melhorar os serviços de saúde prestados à população”, concluiu Calandrini.

A obra

Orçada inicialmente em R$ 3,6 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a construção da UPA da Zona Sul foi iniciada em abril de 2014, com previsão de entrega para setembro do mesmo ano. Mas, a obra teve que ser paralisada no início de janeiro de 2015, porque ficou emperrada em processos burocráticos e por causa de atrasos em repasses durante a gestão anterior do Governo do Amapá.

Outros problemas foram inconsistências estruturais. O projeto apresentado ao BNDES previa a edificação em um terreno plano. No entanto, a área possuía uma declive de cinco metros de diferença entre os níveis mais alto e baixo. Por esta razão, fora necessárias readequações ao projeto original que passou a ter, entre outras novidades, um estacionamento subterrâneo.

Contudo, estas adaptações exigiram um aditivo – um recurso extra de 25% do valor inicial. Isso só foi possível em agosto de 2015, após um longo processo de gestão política. A exemplo de outros empreendimentos no Estado, a UPA da Zona Sul só foi retomada depois que o chefe do Executivo fez uma série de visitas ao BNDES, em Brasília (DF), e articulou apoio da bancada federal amapaense com a atuação da equipe técnica de governo, para tirar o Amapá da situação de inadimplência perante o governo federal.