Inter revive drama e pode recomeçar Brasileiro sem Leandro Damião

Publicado em 11/07/2018 por Bem Paraná

Folhapress

PORTO ALEGRE, RS (UOL/FOLHAPRESS) - Leandro Damião ficar fora é um drama recorrente do Internacional. Sempre que acontece, por um motivo ou outro, a baixa faz a equipe gaúcha sofrer. Agora, o time colorado corre o risco de recomeçar o Campeonato Brasileiro sem o atacante.

Damião já não participou do jogo-treino contra o time B em Porto Alegre. A justificativa para a ausência foi torcicolo. O problema é que as dores não passaram, e o jogador também não enfrentou o SC Atibaia no último domingo (8).

O regresso é incerto. Nesta terça-feira (10), novamente, o comandante de ataque não participou normalmente das atividades. Sem ele, os problemas se multiplicam.

Não há no grupo um jogador de igual característica. A uma semana do recomeço dos jogos no Brasileiro, dificilmente alguma contratação chegará em tempo de atuar. Precisaria de ritmo, de entrosamento e, principalmente, de ter a contratação efetivada.

O mais perto de chegar é Jonatan Alvez, destaque da última Libertadores pelo Barcelona de Guayaquil (EQU) e que se desligará do Junior de Barranquilla (COL). O Inter negocia o empréstimo dele, mas ainda não se vê próximo de fechar.

Damião é responsável pela primeira marcação do time. Pressiona o zagueiro rival e, junto a ele, todo bloco de meio e defesa avança na pressão. Quando a retomada rápida não obtém sucesso, Damião é responsável por fechar a primeira linha, acompanhando a criação do adversário.

Com a bola, é ele quem dá profundidade ao time. Empurrando a zaga rival para perto do seu gol por meio de posicionamento sem a bola, Damião presta um importante serviço na abertura de espaços para centrais e extremas.

Além disso, uma das alternativas mais utilizadas na construção ofensiva do time colorado é o pivô dele. Abusando da força física, o centroavante segura a bola para avanços pelos lados e participa ativamente de quase todas as jogadas.

Neste ano, o Inter já encarou a ausência do atacante de 28 anos por dois meses. Entre 21 de fevereiro e 22 de abril, ele não conseguiu atuar por conta de uma contratura na cervical. Foram cinco vitórias, dois empates e três derrotas no período. Aproveitamento de 56%.

Na época, Roger ainda estava no grupo e atuou a maior parte dos jogos. Agora sem ele, que solicitou transferência para o Corinthians, as alternativas ficam por conta de Nico López e William Pottker. Brenner, que seria opção imediata, fica fora por um mês devido a lesão no joelho esquerdo.

A carência de atacantes coloca o Inter no mercado e ainda forçou o jovem Alvaro, do time sub-23, a ser integrado ao principal. No entanto, qualquer movimento, seja vindo de fora ou ainda oportunidade aos egressos da base, deve surtir efeito apenas a médio prazo.

O Inter testa suas forças no último jogo-treino antes do recomeço do Brasileiro nesta sexta-feira (13). O adversário será o Red Bull Brasil. O recomeço do nacional aponta duelo com o Atlético-PR, dia 19.