Mercados asiáticos caem na esteira de perdas globais

Publicado em 09/02/2018 por Jornal de Santa Catarina

Os mercados asiáticos voltaram a ficar no vermelho nesta sexta-feira (8), seguindo uma tendência global pelos temores dos efeitos de um endurecimento das taxas nos Estados Unidos.

Tóquio, Hong Kong e Xangai foram os mercados mais atingidos, enquanto os investidores tentavam se refugiar em valores como o ouro e o iene.

O índice Nikkei 225 da Bolsa de Tóquio perdeu 2,32% no fechamento, ao fim de uma de suas piores semanas em dois anos. Já a Bolsa de Hong Kong caía mais de 3%, encaminhando-se para perder os lucros obtidos em 2018. Xangai caiu 4,1%, por sua vez, um mínimo em nove meses.

A tendência se deu na esteira das perdas em Wall Street, onde o Dow Jones recuou 4,15%, em meio à preocupação dos investidores que olham o avanço do rendimento do bônus do Tesouro para dez anos.

Depois de um 2017 excepcional e de um mês de janeiro com fortes ganhos, os mercados globais passam por quase duas semanas de espasmos pelos temores de que a recuperação da economia mundial e o aumento dos preços levem a uma alta das taxas de juros maior do que o previsto.

O índice Nikkei da Bolsa de Tóquio opera em torno de mínimos não alcançados desde meados de outubro, e Hong Kong caminha para apagar seus ganhos de 2018.

Um fator-chave desse movimento financeiro foi o informe sobre emprego publicado pelos Estados Unidos na última sexta-feira (2). O documento mostrou uma alta dos salários, deflagrando imediatamente as especulações de que o Federal Reserve (Fed, o Banco Central americano) possa subir os juros mais de três vezes o esperado para este ano.

Ao mesmo tempo, o Banco Central Europeu (BCE) está perto de terminar seu programa de estímulo, e o Banco da Inglaterra também advertiu que as taxas vão subir rapidamente.

"A mensagem dos porta-vozes do BCE e do Fed, sem mencionar o Banco da Inglaterra, é que as taxas vão continuar subindo pela força da economia global", indicou o chefe de estratégias de mercado Greg McKenna, da AxiTrader.

- Frustração -

Na expectativa de elevação das taxas da eurozona e dos juros ingleses, o euro e a libra esterlina avançaram em relação ao dólar.

Nesta sexta-feira, a moeda americana perdia terreno para o iene, à medida que os investidores buscam se proteger. O dólar caiu até 108,50 ienes contra anteriores 110 ienes, após uma venda semanal de títulos dos EUA muito fraca, que enviou os rendimentos para um máximo em quatro anos.

Muitos analistas se mostram otimistas em relação aos parâmetros positivos da economia, tanto nos Estados Unidos, quanto no restante do mundo e pelas perspectivas positivas para os lucros corporativos, depois do gigantesco corte de impostos promovido por Donald Trump em dezembro.

"O mercado de ações continuará evoluindo assim (com altos e baixos) sem que saibamos quando vai parar", comentou Art Hogan, da Wunderlich Securities.

Entre os operadores cambiais, o ambiente "é mais de frustração do que de outra cosa", acrescentou.

"Não é que realmente tenha pânico (...) É uma forma de testar até onde podemos baixar", afirmou.

* AFP