Nissan admite manipulação em testes de poluição

Publicado em 10/07/2018 por Yahoo Finanças

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Nissan informou que mediu indevidamente as emissões de escapamento e a economia de combustível de 19 modelos de veículos fabricados no Japão.

A montadora disse que encontrou, na maioria de suas fábricas no país, ambientes de testes em desacordo com os padrões e que os relatórios de inspeção foram baseados em medições alteradas.

Veículos exportados não foram afetados, já que os testes em questão se aplicam a requisitos destinados especificamente ao mercado japonês.

"Esta é uma questão profunda e séria para a nossa empresa", disse o diretor de operações, Yasuhiro Yamauchi.

"Percebemos que a nossa conscientização quanto à conformidade continua faltando", disse ele, acrescentando que a empresa realizará uma investigação sobre a questão, que pode levar mais de um mês.

As ações da montadora fecharam em baixa de 5% nesta segunda-feira (9), em seu menor valor em mais de um ano.

O incidente é o mais recente de uma crescente lista de adulteração de dados que prejudicou a imagem da indústria local, conhecida pela produção eficiente e de alta qualidade.

A Nissan admitiu em outubro de 2017 que, durante décadas, inspetores não certificados assinaram as verificações finais dos carros vendidos no Japão, provocando um recall de 1,2 milhão de veículos.

Naquele ano, chegou a suspender a produção por algumas semanas para resolver os problemas de inspeção.