Oferta de petróleo aumenta 90 mil barris por dia no mês de setembro, diz AIE

Publicado em 12/10/2017 por DCI

12/10/2017 - 05h18

Oferta de petróleo aumenta 90 mil barris por dia no mês de setembro, diz AIE

LONDRES - A oferta mundial de petróleo aumentou em dezembro graças a uma produção forte dos Estados Unidos, mesmo que os mercados globais continuem a mostrar sinais de reequilíbrio, afirmou a Agência Internacional de Energia (AIE) nesta quinta-feira. Em seu relatório mensal, a AIE disse que a oferta global da commodity aumentou 90 mil barris por dia em setembro ante agosto, para 97,5 milhões de barris por dia. Na comparação anual, isso representa uma alta de 620 mil barris por dia em setembro.

O crescimento na oferta foi puxado principalmente pela produção dos EUA, mesmo com os problemas causados pela temporada de furacões, bem como pela produção no Mar do Norte e no Casaquistão, de acordo com o relatório. A AIE diz que os campos de xisto dos EUA aumentaram sua produção em relação aos "níveis baixos vistos no início do ano". Com isso, mesmo que o número de poços e plataformas em atividade tenha em geral se estabilizado, a produção continuou com uma tendência de alta, apontou a AIE.

A entidade afirmou, por outro lado, que a produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) aumentou apenas 10 mil barris por dia em setembro, quase estável, a 32,65 milhões de barris por dia, em um sinal de que os esforços do cartel para controlar a oferta em geral têm funcionado. O patamar é 400 mil barris por dia inferior ao de igual mês do ano passado, que foi uma época de produção elevada do grupo.

Há "pouca dúvida de que os principais produtores reafirmaram o compromisso de fazer o que for necessário para apoiar o mercado e o longo processo de reequilíbrio", disse a AIE.

Os preços do petróleo têm sido sustentados pelas indicações de que a Arábia Saudita, maior membro da Opep, e a Rússia estão abertas a discutir a extensão do acordo para cortar a oferta ao longo do próximo ano. Em princípio, a iniciativa termina em março.

A estimativa da AIE para a oferta da Opep foi inferior ao próprio dado do cartel para setembro, divulgado na quarta-feira, que mostrou produção em 32,75 milhões de barris por dia, em grande medida graças ao aumento da produção na Líbia e na Nigéria. Os dois países fazem parte da Opep, mas não foram incluídos no acordo por enfrentarem problemas no setor, em meio a distúrbios sociais.

A AIE afirmou ainda que os estoques comerciais da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) recuaram 4,2 milhões de barris por dia em agosto, para 170 milhões de barris por dia, acima da meta da Opep para a média dos últimos cinco anos.

A demanda por petróleo no mundo, por sua vez, desacelerou no terceiro trimestre, diante de paralisações em refinarias causadas por tempestades na costa do Golfo dos EUA, afirmou a AIE. A agência, que manteve sua projeção de crescimento na demanda em todo o ano de 2017 em 1,6 milhão de barris por dia, espera que a demanda volte a ganhar força no quarto trimestre. Fonte: Dow Jones Newswires.

Estadão Conteúdo

Assuntos relacionados:

economia