Randon deixa prejuízos e obtém lucros tanto no trimestre quanto no ano

Publicado em 14/03/2018 por Valor Online

SÃO PAULO  -  A fabricante de implementos rodoviários, vagões e autopeças Randon registrou lucro líquido de R$ 46,7 milhões em 2017, revertendo assim o prejuízo de R$ 67,2 milhões em 2016.

A receita líquida consolidada totalizou R$ 2,94 bilhões, um avanço de 11,9% na comparação com todo o ano de 2016. O valor ficou acima do projetado pela Randon, que era de R$ 2,8 bilhões para o ano passado.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) somou R$ 308,2 milhões em 2017, duas vezes superior aos R$ 142,7 milhões de 2016.

Segundo a empresa, o resultado foi em função da retomada da produção nas montadoras de automóveis e caminhões, com exportações, e crescimento das vendas de caminhões e semireboques no Brasil a partir do segundo semestre. Além deste cenário, a Randon menciona melhora de processos, com controle de despesas e investimentos, lançamento de novos produtos, fortalecimento dos canais de venda e redução de custos fixos.

As despesas operacionais cresceram 1,3% em 2017 ante 2016, para R$ 506,1 milhões, mas representaram 17,2% da receita líquida consolidada, contra 19% no ano anterior.

Em 2016, o resultado líquido da Randon foi impactado pela queda da safra agrícola e por uma baixa contábil de R$ 20 milhões na divisão de autopeças.

O resultado financeiro piorou 82,2%, para perdas financeiras de R$ 37 milhões, em função da queda de 26,3% das receitas, para R$ 262,3 milhões. As despesas financeiras, por outro lado, caíram 20,5%, para R$ 299,3 milhões.

4º trimestre

No quarto trimestre de 2017, a fabricante registrou lucro líquido de R$ 3,57 milhões ante um prejuízo de R$ 48,5 milhões em igual intervalo de 2016.

De outubro a dezembro do ano passado, a receita líquida consolidada cresceu 37,1% na comparação anual, para R$ 853,2 milhões.

O Ebitda veio 75 vezes superior no quarto trimestre de 2017, em R$ 78,4 milhões, ante R$ 1,03 milhão no mesmo período de 2016. A margem Ebitda passou de 0,2% para 9,2%.

 

Entre outubro e dezembro de 2017, na comparação anual, a  Randon registrou perdas financeiras de R$ 13,5 milhões, ante um valor positivo anterior de R$ 389 mil. As receitas financeiras caíram 41%, para R$ 52,8 milhões, e as despesas também recuaram, 25,6%, para R$ 66,3 milhões.

 

Fras-le

A fabricante de lonas e pastilhas de freio gaúcha Fras-le, do grupo Randon, registrou um lucro líquido de R$ 64,06 milhões em 2017, um leve recuo de 0,3% ante 2016. Somente no quarto trimestre, o lucro foi de R$ 10,45 milhões, queda de 5,6% na comparação com igual intervalo de 2016.

De janeiro a dezembro do ano passado, a receita líquida evoluiu 2,5% ante o ano anterior, para R$ 832,8 milhões, enquanto no quarto trimestre de 2017 a alta foi de 13,7%, para R$ 221,5 milhões.

Segundo a Fras-le, em informe de resultados divulgado ontem (13), o crescimento da receita ocorreu com o maior volume de vendas em todos os mercados e segmentos, mas o desempenho foi "modesto" com a valorização cambial, já que aproximadamente 50% da receita vem do mercado externo.

Em todo o ano passado, o Ebitda somou R$ 106,4 milhões, uma queda de 14%, com margem Ebitda passando de 15,2% para 12,8%. No quarto trimestre de 2017, o Ebitda ficou duas vezes acima dos três últimos meses de 2016, em R$ 29 milhões, com margem Ebitda de 13,1% ante 7,3% um ano antes.

A empresa finalizou o ano de 2017 com um resultado financeiro positivo em R$ 18,3 milhões, sete vezes acima dos R$ 2,6 milhões em 2016, com a redução dos saldos de empréstimos e financiamentos e das taxas de câmbio.

A fabricante de lonas e pastilhas de freio encerrou o ano de 2017 com um superávit financeiro de R$ 264,4 milhões, em função de R$ 220,3 milhões em empréstimos e financiamentos e R$ 484,7 milhões em disponibilidades de caixa. Na comparação com 2016, esse superávit financeiro recuou 3,6%. Naquele ano, a Fras-le tinha R$ 256,2 milhões em empréstimos e financiamentos e R$ 530,4 milhões em disponibilidades.

Investimento

Em 2017, a Fras-le investiu R$ 45 milhões, 50% acima dos R$ 30 milhões projetados para o ano e 4,45 vezes superior a 2016.

Do total, R$ 15,8 milhões foram para a Fras-le controladora e referem-se aos aportes em máquinas, equipamentos e ferramentas. Também fazem parte destes investimentos valores destinados à nova fábrica da China, R$ 10,9 milhões, e para a controlada Freios Controil, no montante de R$ 7,9 milhões, e R$ 9,8 milhões corresponde à aquisição de prédios e terreno da fábrica do Alabama (EUA).