Santos Brasil reverte prejuízo

Publicado em 14/11/2017 por Valor Online

A Santos Brasil, grupo de operações portuárias, reverteu prejuízo líquido de R$ 1 milhão e registrou lucro de R$ 980 mil no 3º trimestre. Contribuiu para o desempenho um melhor resultado financeiro. Mas houve queda no volume de contêineres movimentados, redução na receita das operações de cais e do terminal de veículos e itens não recorrentes - como o pagamento de R$ 3 milhões em indenizações trabalhistas decorrentes da reestruturação feita no primeiro semestre. A receita líquida caiu 6% no trimestre na base anual, para R$ 209,3 milhões. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) aumentou 3,6%, para R$ 29 milhões. No consolidado, a margem Ebitda teve leve alta, de 12,6% para 13,9%. A companhia manteve a baixa alavancagem, medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda. O indicador recuou para 0,03 vez em setembro ante 0,1 vez em junho. No consolidado, a movimentação de contêineres nos terminais do grupo caiu 13,5% no trimestre, para 238,5 mil unidades, puxada pelo desempenho do Tecon Santos - principal ativo do grupo. O término de um contrato de navegação na rota para a Ásia contribuiu para a queda de 18,8% no terminal. O Tecon Santos perdeu mercado no porto e respondeu por 30,03% dos contêineres movimentados em Santos no trimestre ante 39,5% na base anual. A queda da fatia confirma a perda de liderança no maior porto da América Latina para a BTP, operado pela APM Terminals e TIL. o volume de contêineres cheios - que remuneram mais - caiu 8,7% no trimestre, para 193,5 mil unidades. A armazenagem, uma das atividades mais rentáveis do negócio de terminais de contêineres, caiu 14,6%, para 29,7 mil unidades. Os dados positivos ficaram por conta do segmento de logística, dos terminais de contêineres de Imbituba (SC) e Vila do Conde (PA) e do Terminal de Veículos (SP). O negócio de logística avançou 36,7% no trimestre, para 12,6 mil contêineres. O Tecon Imbituba teve alta de 87%, para 12,6 mil unidades de contêineres. O Tecon Vila do Conde também cresceu, com avanço de 25,5% no volume de contêineres, para 21,3 mil unidades. E o Terminal de Veículos, no cais santista, refletiu o bom desempenho das exportações de automóveis. A movimentação cresceu 110%, para 74 mil unidades.