Selic cai para 7%, menor patamar histórico

Publicado em 07/12/2017 por Jornal do Comércio - RS

Na última reunião do ano, o Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) decidiu, ontem, cortar a taxa básica Selic em 0,5 ponto percentual, para 7% ao ano, levando o juro ao seu menor patamar desde o início da série histórica em 1986. Foi a décima redução seguida do juro básico. A decisão, unânime, veio em linha com a expectativa dos 49 economistas ouvidos pela agência Bloomberg, que esperavam corte de 0,5 ponto percentual. Também ficou de acordo com os 7% estimados pelo Boletim Focus, do Banco Central (BC).
A queda de 0,5 ponto percentual representou nova redução do ritmo de corte do BC - no encontro de outubro, a Selic tinha caído 0,75 ponto percentual. Desde abril, quando o juro caiu de 12,25% para 11,25% ao ano, o Copom vinha promovendo cortes de um ponto percentual.
O BC manteve a porta aberta para novo corte do juro no início de 2018, porém mais moderada. A indicação veio no comunicado distribuído logo após a redução da taxa. O mercado também espera nova redução em fevereiro, na primeira reunião de 2018.
A queda desta quarta-feira ocorreu em um cenário de inflação sob controle, mas diante de uma economia que ainda não demonstra sinais firmes de recuperação. O IPCA (índice oficial) de outubro mostrou avanço de 0,42%, o maior índice desde agosto do ano passado. Ainda assim, a inflação em 12 meses acumula alta de 2,7%. Novos reajustes de tarifas de energia e combustíveis e o fim da safra de alimentos devem manter, em novembro, a pressão sobre os preços.
A queda dos juros também deve ajudar a impulsionar a economia, após um terceiro trimestre de quase estabilidade. O PIB (Produto Interno Bruto) cresceu 0,1% no terceiro trimestre e ficou praticamente estável em relação aos três meses imediatamente anteriores. Ainda assim, é o terceiro trimestre seguido de resultado positivo.
Em relação ao terceiro trimestre do ano passado, o PIB cresceu 1,4% entre julho e setembro deste ano. Neste ano, até setembro, a expansão é de 0,6%.