Serviços têm recuo de 1,1% em novembro em SC

Publicado em 12/01/2018 por Diário Catarinense

O volume de serviços registrou queda de 1,1% em SC em novembro de 2017 ante o mesmo mês de 2016. No Brasil houve recuo de 0,7%, conforme a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada pelo IBGE nesta sexta-feira, 12.  De dezembro de 2016 a novembro de 2017, a variação é de queda de 6,7% em Santa Catarina e de 3,4% no Brasil.

O principal ponto negativo no mês foi a queda de 7,8% no volume do segmento de informação e comunicação. Os serviços profissionais, administrativos e complementares também registraram queda (5,9%). Os demais segmentos apresentaram crescimento no volume, com destaque para os serviços prestados às famílias, que cresceu 17,8%, resultado principalmente do arrefecimento da inflação e a leve recuperação do emprego, com saldo positivo de vagas; e os transportes, com crescimento de 2,4%.

Quanto à receita, o setor reverteu o ciclo de queda em novembro, quando a receita nominal do setor cresceu 5,1% na comparação com o mesmo mês do ano anterior. A alta no país foi um pouco menor, de 4,3%.  No acumulado de 12 meses, a variação da receita ficou em -0,3% no Estado e em 1,9% no Brasil. 

Para o economista da Fecomércio-SC, Luciano Córdova, a redução da inflação e a recuperação, ainda que lenta, da renda das famílias influenciaram na melhora dos indicadores. 

- Seguindo a tendência geral da economia, os serviços apresentarão melhores desempenhos em 2018. Não será uma forte recuperação, pois o cenário ainda é de bastante cautela por parte da indústria e de crise fiscal nas esferas governamentais, dois dos principais demandantes dos serviços. Além disso, os serviços dependem da expansão da massa salarial, cujos resultados ainda não superaram o que se via em 2014 -  avalia.  

A variação da receita nominal nas atividades turísticas avançou 12,2% em Santa Catarina e 4,5% no Brasil. No resultado acumulado em 12 meses, cresceu 13,6%, acima da média nacional de 3,7%. No volume das atividades turísticas, em 12 meses, o Estado teve alta de 4,8%, enquanto o Brasil retraiu 5,9%.  Na comparação com o mesmo período do ano passado, o desempenho se repete: 4,8% em SC, diante de -6,6% no cenário nacional. Portanto, o agregado especial do turismo é forte impulsionador da recuperação dos serviços em Santa Catarina.