Setor de tecnologia se destaca e Nasdaq sobe 0,2%

Publicado em 07/12/2017 por Valor Online

As bolsas de Nova York fecharam sem direção única no pregão de ontem, em dia de pausa no rali de ações americanas e de relativa calmaria no noticiário político e econômico. Com a baixa do petróleo, as ações de energia caíram e ofuscaram a valorização do setor de tecnologia. O Nasdaq terminou em alta de 0,21%, a 6.776,37 pontos, depois de três sessões de perdas, com suporte das ações de tecnologia, mas ainda tem baixa de cerca de 1% na semana. O Dow Jones caiu 0,16%, aos 24.140,91 pontos, enquanto o S&P 500 ficou praticamente estável (-0,01%), a 2.629,27 pontos. A leve baixa do S&P 500 pode ser considerada a quarta consecutiva, na sequência mais longa de retração desde março. As ações de energia lideraram as perdas, com queda 1,3% em meio ao tombo das cotações do petróleo, após relatório do governo dos EUA mostrar baixa nos estoques de petróleo e alta nos de gasolina na semana encerrada em 1º de dezembro. Os dois resultados foram mais intensos do que se previa. As ações de tecnologia continuaram em recuperação, com alta de 0,8% dentro do S&P 500. O setor ainda está 2% abaixo em relação ao nível do mês passado, desde que investidores começaram um movimento de migração rumo a ações consideradas mais promissoras em eventual aprovação da reforma tributária. O noticiário político de Washington ajuda a explicar o movimento acionário mais fraco do mercado nesta semana, de acordo com investidores e analistas. Os rendimentos ("yields") dos Treasuries caíram em meio à falta de direção no mercado acionário americano. Os yields das T-notes de dez anos recuaram para 2,330%, de 2,356% no fechamento de terça-feira, enquanto os de 30 anos terminaram a 2,699%, contra 2,722%. Na Europa, o índice pan-europeu Stoxx 600 terminou em baixa de 0,11%, a 386,32 pontos. O índice FTSE 100, de Londres, fechou em alta 0,29%, a 7.327,50 pontos, o DAX, de Frankfurt, caiu 0,38%, a 12.998,85 pontos, e o CAC 40, de Paris, perdeu 0,02%, a 5.374,35. (Com agências internacionais)