Apesar da crise do carnaval, camarotes investem em atrações e serviços de luxo no Rio

Publicado em 09/02/2018 por O Globo

RIO - Na contramão das dificuldades financeiras que atingem as escolas de samba e o carnaval de rua do Rio, os tradicionais supercamarotes da Sapucaí parecem não conhecer a crise. Sem grandes cortes no orçamento, os mega-espaços seguem investindo em atrações musicais de peso e serviços de luxo que concorrem diretamente com a grandiosidade do espetáculo que acontece do lado de fora.

Para o público, uma infinidade de opções: da barbearia ao shiatsu, passando pela comida japonesa e bebidas altamente requintadas até chegar em mimos e brindes que incrementam a folia. O retorno para investidores vem, principalmente, da exposição da marca diante das 120 mil pessoas que acompanham o espetáculo e também da venda de ingressos, quando a empresa opta por esse caminho.

LEIA MAIS: CONFIRA A AGENDA DE BLOCOS DO CARNAVAL DE RUA

A briga é boa entre os camarotes quando o assunto é tamanho. O Guanabara, localizado no Setor 4, aumentou a área em 20% e chegou aos 4.500 metros quadrados para receber bem uma seleta lista de convidados, que inclui os principais parceiros e fornecedores da rede. A infraestrutura é enorme: são três andares climatizados com direito a elevador, salão de beleza com cabeleireiros e maquiadores e SPA com shiatsu e cadeiras de massagem. Sempre levando em consideração o conforto de quem quiser caprichar no visual ou relaxar entre um desfile e outro.

- Esses serviços são a sensação do camarote e, por conta da alta procura, até criamos um sistema de senhas numeradas para que as pessoas possam curtir o ambiente e serem chamadas quando estiver na vez delas - comenta o produtor Maurício Marquez, que elegeu o modelo de gestão dos parques da Disney como inspiração para manter o espaço sempre organizado e completo.

A equipe de manutenção do Camarote Guanabara trabalha todos os dias, após os desfiles, para fazer os reparos necessários na estrutura do espaço: modelo inspirado na Disney - Gabriel de Paiva / Agência O Globo

Quem tiver a chance de curtir o espaço, também vai poder aproveitar shows dos cantores Marília Mendonça, Luan Santana, Thiaguinho, Michel Teló e Capital Inicial, entre outros artistas. Nos restaurantes e bares, cerca de 9,6 toneladas de comida e 60 mil cervejas importadas vão garantir o menu. Além disso, os brindes são um atrativo do camarote, que funciona utilizando a mão de obra de 1.800 pessoas. Logo ao entrar, o visitante é mimado com peças de figurinos carnavalescos.

VEJA TAMBÉM: Diversidade cultural dá o tom do camarote Quem/O GLOBO

No Setor 9, a Itaipava, cerveja oficial da festa na Passarela do Samba, recrutou Pabllo Vittar, Karol Conka e Thiaguinho para mostrar que as dificuldades financeiras passam longe do camarote da empresa, que também é restrito para convidados.

- A crise está na ponta da língua dos diretores de marketing do mercado. Mesmo assim, o Rio de Janeiro é um mercado muito importante e apoiar o carnaval é encarado como uma obrigação para com os consumidores cariocas - explica Eliana Cassandre, gerente de marketing da cervejaria.

LUXO À VENDA PARA FOLIÕES

Quem deseja desfrutar da infraestrutura de megacamarotes não precisa ficar frustrado. Afinal, há espaços que cobram pela entrada e que ainda estão com ingressos à venda. Os interessados devem desembolsar entre R$ 530 - preço para uma noite de desfiles da Série A - e R$ 6 mil - valor de um dos convites supervips para um dos dois dias do Grupo Especial.

Sob nova direção em 2018 - a paulista Diverti assumiu a gestão do camarote -, a Grande Rio transformou seu espaço num grande "Cassino do Chacrinha" (o apresentador é o enredo da agremiação de Duque de Caxias). Uma reprodução do palco da atração televisiva será montada ao lado do Setor 3 para receber muitas atrações nos intervalos dos desfiles. O ator Stepan Nercessian representará o Velho Guerreiro e a chacrete oficial será a dançarina e cantora Rita Cadillac.

- Estou animadíssima. Sempre me emociono quando revivo a energia do Chacrinha e ele tem tudo a ver com o carnaval, porque levava as escolas de samba ao programa. Desfilei com ele em duas escolas na época do programa. Tenho certeza que o Stepan encarna o Chacrinha e no camarote não vai ser diferente - comenta Rita, que vai cruzar a ponte aérea Rio/São Paulo para participar da iniciativa.

Rita Cadillac e Leleco Barbosa, o filho de Chacrinha, estarão no camarote da Grande Rio, que homenageia o centenário do apresentador - Leo Martins / Agência O Globo

Ainda na contramão da economia foliona, o ramo dos camarotes tem atraído novos investidores. Além da nova produtora do camarote da Grande Rio, há mais gente interessada em ingressar no negócio. O jogador Ronaldo Fenômeno e os sócios Carol Sampaio e Gabriel David vão estrear este ano o Nosso Camarote, no Setor 10, e querem receber 1.800 pessoas por noite, entre convidados e pagantes.

- A ideia surgiu de uma conversa minha com o Ronaldo, que já tem uma produtora de eventos. O público vai ser misto, parecido com o que acontece nas festas que promovo. Teremos a lista vip, mas também teremos os interessados em pagar pelo ingresso. Estamos investindo cerca de R$ 8 milhões - afirma Carol, que elegeu a amiga Tayla Ayala para ser a musa do camarote estreante.

Outra opção para os amantes do carnaval é o tradicional Rio, Samba e Carnaval. Na tentativa de se tornar cada vez mais moderno, o espaço de 46 anos contratou um promoter de 27 e incrementou os serviços oferecidos: além dos serviços de beleza para mulheres, vai tentar mobilizar os homens e diversificar a trilha sonora sem perder a preferência pelo samba.

- Teremos uma barbearia fazendo penteados e cuidando das barbas, inclusive com a opção de pintá-las. Além disso, somos um camarote que bate o pé para colocar o samba em evidência. Não temos música eletrônica, mas teremos uma DJ que tocará samba e MPB remixados - revela Vinicius Belo, o eleito para cuidar dos mínimos detalhes do Rio, Samba e Carnaval.

Heron Schneider, responsável pela Central de Vendas da Liesa, afirma que a expansão dos camarotes se relaciona diretamente com uma mudança no perfil do público que frequenta o Sambódromo.

- Com a ampliação do espaço, após a obra de 2011, as empresas passaram a procurar ainda mais pelos camarotes. Elas estão plantando uma semente quando atraem para a festa um público mais jovem, interessado no samba e também em outros ritmos e nos serviços oferecidos. O carnaval precisa de renovação - diz.

Antes restrito aos VIPs, o Camarote Nº 1 - que até 2016 levou o nome da cervejaria Brahma - também venderá ingressos para os desfiles. A cantora Anitta será uma das grandes atrações musicais da festa e recebe o título de musa, junto com Sabrina Sato. O espaço terá ainda a inclusão de rodas de samba sob curadoria de Dudu Nobre. O diretor geral do Banco de Eventos, empresa responsável pelo camarote Nº 1, Marcio Esher, afirma que os patrocinadores foram essenciais para superar a crise em 2018.

- O ideal é oferecer o que existe de melhor para os frequentadores. A qualidade é essencial. A estratégia para manter a excelência foi ampliar a participação de marcas patrocinadoras e colocar parte dos ingressos à venda - revela Esher.

O camarote corporativo da Global Marketing e Eventos também é uma opção para quem busca luxo e conforto para assistir ao cortejo. Em dois andares do Setor 9, o espaço foi decorado com o tema "Um carnaval dos carnavais". Além de shows de samba e um buffet requintado, o público terá à disposição serviços de beleza e reflexologia.

MISTURA DE GÊNEROS MUSICAIS

Enquanto o samba é a atração principal na pista de desfiles, em alguns camarotes o público assiste a apresentações musicais de diferentes estilos. No Rio Exxperience, um dos camarotes mais novos da Sapucaí, o destaque é uma apresentação de piano rock, além do samba de Pretinho da Serrinha. O diretor de produção Marco Antonio Barizon explica a receita para fugir da crise no carnaval deste ano:

- Uma medida de empreendedorismo, uma dose de criatividade, uma porção de parcerias estratégicas, uma pitada de ousadia e paixão à gosto - brinca Barizon.

Quem também investe na diversidade musical é o camarote da Wood's, a badalada casa de música sertaneja. Na estreia na Sapucaí, apresentações de Fernando & Sorocaba, João Bosco & Vinícius, MC Livinho e Durval Lelys, entre outros artistas, para agradar a gregos e troianos. Segundo José Carvalho, sócio da Woods, a ideia é apostar na pluralidade musical e em parcerias com outras empresas.

- O carnaval passa por um momento bastante delicado e vai precisar se reinventar. Novas parcerias e, principalmente, a integração com outras vertentes da cultura brasileira podem ser fundamentais para fomentar a festa - opina Carvalho.

*Estagiário sob supervisão de Leila Youseff