Casal da Califórnia é preso por abusar de dez filhos em casa insalubre

Publicado em 16/05/2018 por O Globo

Jonathan Allen e a mulher, Ina Rodgers, abusaram física e emocionalmente dos filhos - Solano County Sheriffs Office / AP

SÃO FRANCISCO - Um casal da Califórnia enfrenta múltiplas acusações de tortura e abuso infantil depois que dez crianças - de idades entre quatro meses e 12 anos - foram encontradas em condições "horríveis" na casa da família, em Fairfield, ao norte de São Francisco. Jonathan Allen, de 29 anos, pai dos jovens, nega os crimes. A mãe, Ina Rodgers, de 31 anos, também se diz inocente e disse aos jornalistas que as "alegações vão cair".

LEIA MAIS: Como um casal manteve 13 filhos em cativeiro sem gerar suspeitas nos EUA

Casal preso por torturar 13 jovens planejava 14º filho, dizem irmãos

Surpresos e chocados, dizem avós de 13 jovens mantidos em cativeiro nos EUA

Os promotores responsáveis pelo caso destacaram, nesta quarta-feira, que Allen vai responder por sete acusações de tortura e nove de abuso infantil. Ina tem contra si sete queixas de abuso. Os investigadores revelaram que as crianças foram retiradas do lar em março. Elas tinham feridas perfurantes, queimaduras, contusões e ferimentos consistentes com o tiro de espingarda de chumbo. Segundo a sub-procuradora do condado de Solano, Sharon Henry, os pequenos foram torturados por "propósitos de sadismo".

Brinquedos na casa em que dez crianças foram retiradas da guarda dos pais, em Fairfield - Rich Pedroncelli / AP

As crianças foram descobertas quando a polícia visitaram a residência em função de uma denúncia de jovem desaparecido. Os agentes encontraram a casa cheia de comida apodrecida, lixo humano e animal. Por meio de entrevistas com os filhos, os investigadores chegaram às histórias de abusos cometidos pelos pais. Oito das dez vítimas relataram incidentes que datam de vários anos, segundo as autoridades locais.

Wanda Rogers, avó materna das crianças, destacou à mídia local que desconfiava dos abusos e chamou Allen de "monstro".

"Ele pegava o bebê, dava um tapa na cara e colocava fita isolante na boca do bebê para fazê-lo se calar", recordou a avó à rede "KNTV".

Ina Rodgers relatou à imprensa que o serviço social chegou a entrevistar as crianças, há três anos, após um relato de sua mãe. Na ocasião, os profissionais não teriam registrado abusos, e os pequenos voltaram aos cuidados da mãe.

A acusação de Allen e Ina trouxe de volta à tona a história de David e Louise Turpin, que foram presos em janeiro por torturar seus 13 filhos, deixá-los subnutridos e em condições insalubres na Califórnia. Assim como no caso precedente, o casal de Solano fazia os filhos estudarem em casa - mas não tinha registro nos órgãos de educação para a prática de ensino.

"Não sou um animal. A verdade é que este é um lar funcional. Todos ajudavam todos. Era um círculo completo, os mais velhos ajudavam os mais novos", defendeu-se Allen à "KCRA-TV".

Vizinhos relataram não saber que havia crianças na residência. Embora os pais acenassem à vizinhança quando saíam de casa, moradores dizem nunca ter visto os jovens no quintal ou no piscina.