Custo da cesta básica em Joinville cai 3,6%

Publicado em 14/09/2018 por A Notícia - SC

A cesta básica voltou a cair nos últimos 30 dias em Joinville e ficou em R$ 234 na última pesquisa do Procon, realizada segunda e terça. O recuo foi de 3,6%. Na pesquisa do churrasco, com oscilação de subida de 1% na média, o coração de frango teve a maior alta, de 12%.

 

O que tem

Uma consultoria será contratada em Joinville, por meio de licitação, para descobrir quais minérios e qual é o valor econômico da lavra em área municipal na zona rural. O imóvel fica perto da Estrada Rio do Morro.

 

Um novo perfil da UPA

Com três leitos de emergência e 17 para observação, além de mais espaços para medicação e atendimento em poltronas - se o paciente tiver condições - a UPA Sul de Joinville (antigo PA) reinaugurado ontem se aproxima do perfil de um hospital de pequeno porte. A área construída praticamente dobrou de tamanho. O quadro de servidores passou a contar com 121 profissionais, sendo 32 médicos. 

 

Álvaro Dias

A agenda de Álvaro Dias em Joinville no sábado (15) inicia com concentração na praça da Bandeira, a partir das 10h. A programação publicada na edição de ontem na coluna, vinda da assessoria nacional, foi alterada. Depois da campanha em Joinville, o candidato a presidente pelo Podemos participa de encontro de empresários em Florianópolis.

 

Ensino integral

Corriqueira em campanhas eleitorais, a promessa de ampliação do ensino integral na rede estadual reapareceu com força na atual disputa. Mas não é tarefa fácil, ainda que seja uma obrigação para os governantes se esforçarem para ampliar a adesão ao integral. Atualmente, um aluno do ensino médio custa em torno de R$ 400 mensais para o governo do Estado. No caso do integral, essa despesa - que inclui salários dos professores, custeio da manutenção etc.) - sobe para R$ 620 por mês. É preciso buscar esse recurso extra. 

 

Matrículas

Além disso, é preciso fazer o ensino em dois turnos se tornar mais atrativo para os estudantes. Já existe evasão na rede estadual no turno único. No ano passado, em exemplo local, a Secretaria de Estado de Educação definiu três escolas com o ensino integral. Só que um dos colégios não levou adiante a modalidade ampliada de carga horária porque a procura pelas matrículas foi baixa demais: havia alunos que tinham de trabalhar no outro turno. O integral foi mantido em dois colégios.

 

Leia também:

?Eleição presidencial deste ano ɠinédita e imprevisível?

?