Novo governo, renovação de ideias

Publicado em 07/12/2017 por O Estado do Maranhão

Novo governo, renovação de ideias

É surpreendente o interesse pela política que acomete de forma generalizada toda a população dos entes federados deste imenso território nacional chamado Brasil. Os partidos políticos fazem a propaganda para esclarecer ou embriagar a população, que no curso das campanhas vai tomando consciência e formando sua opinião. Esse é o processo democrático que se agiganta e culmina com as eleições. Essa é a fórmula concebida por cientistas políticos e sociais para proteger a sociedade das burguesias arbitrárias e de mandatários totalitários.

O aprimoramento do sistema democrático coincide com a elevação da qualidade de vida da população, visto que são fundamentos básicos para a sociedade. Rumando por esse diapasão sociológico percebemos que a classe política ainda resiste em ofertar mão de obra qualificada para o exercício dos mandatos eletivos. Pessoas e mais pessoas despreparadas entram no processo de forma imatura, incoerente e incompetente para manipular, gerir ou conduzir uma sociedade frágil, que anseia por melhorias. Daí as frustrações causadas pelas más gestões, que colidem de forma permanente e quase generalizada. É o país sendo comandado por todo tipo de administrador, que vai do metalúrgico ao médico, só que despreparados para os elevados cargos de gestores públicos.

Improvisação, corrupção, desmandos, falta de planejamento permeiam as administrações do Brasil. É o ôba, ôba da política nacional prevalecendo nesse processo, concebido por mentes iluminadas como Rousseau, Montesquieu, Weber, Hobbes e outros. O desvio de finalidade é visível quando se observa nos discursos dos candidatos uma promessa de planejamento, boa gestão, etc. e quando assumem verifica-se a sucumbência, por conta de outros objetivos. Por exemplo, no Maranhão um governo estrambólico se auto intitulando comunista prometeu profundas mudanças mas caiu na mesmice, utilizando-se dos meios de comunicação caríssimos para enaltecer seus feitos, enquanto gaiolões para presos, escolas de taipa, de chão batido, saúde precária, educação caduca, insegurança crescente, corrupção exposta, tudo isso e mais coisas que estão acontecendo cujo desfecho será mais atraso, mais comprometimento com o subdesenvolvimento.

Porém vamos continuar dando vivas à democracia, que venha outro governador ou governadora, mais maduro e experiente, sem ideologias malucas, com princípios democráticos sólidos e um planejamento de ações factíveis e sustentáveis. Precisamos urgentemente de um choque de gestão, privilegiando-se as demandas sociais, tipo emprego e renda, educação de qualidade, qualificação de mão de obra, saúde, esporte, lazer, tudo isso massificado.

Torna-se premente uma transformação radical na conjuntura político-administrativa do nosso país, com o mérito prevalecendo sobre a improvisação. Os valores moral, intelectual e ético, são parceiros de uma boa gestão.

Não podemos continuar prestigiando a demagogia, que ao longo do tempo vem contribuindo para formação de uma sociedade desqualificada intelectualmente que serve apenas como massa de manobra ao ser instrumentalizada pelos meios de comunicação. É assim que caminha o povo. Por isso queremos mudar para melhorar.

Só assim vai valer a pena.

Valdemir Verde

Ex-prefeito, vereador de Humberto de Campos-MA

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.