Prédio destinado a moradia popular é dominado por traficantes no Rio

Publicado em 16/05/2018 por Jornal Nacional - TV

Reveja a transmissão

/

Dispositivo não suportado.

Infelizmente, não foi possível encontrar um vídeo compatível com o seu dispositivo.



Palácio Duque de Caxias, sede do Comando Militar do Leste e da intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro. A 350 metros, um prédio de 13 andares virou um ponto de venda de drogas.

“Vai subir as escadas e tem que subir dois, três degraus pra não pisar na droga deles”, diz o morador. 

“Eles revistam, eles mandam levantar a camiseta, se a gente não cumprir o que eles querem, a gente é expulsa de lá. A gente perde a moradia da gente”, conta outro morador.

A Secretaria de Segurança também fica perto, mas o carro da Polícia Militar não intimida o homem que oferece drogas na calçada.

Comprador: A PM, não tem problema, não, com a PM?

Traficante: Nada a PM! Vamos resolver isso aí, ó. Pode subir. Pode subir.

“É o dia todo assim, a noite toda, a madrugada toda, a semana toda assim. A polícia está lá só para dizer que está. A polícia não faz nada”.

A polícia conhece bem o prédio. Na última quarta-feira (9), quatro carros da PM pararam bem em frente. Na mesma hora, um morador mandou uma mensagem para a equipe do JN.

“Esses policiais vieram pra pegar o dinheiro. Agora eles querem R$ 4 mil por semana”. 

“Sempre fez batida. Mas não pra acabar com o tráfico. Só pra buscar dinheiro”.

A ocupação foi regularizada há seis anos. O governo federal cedeu o prédio para o estado e 59 famílias de baixa renda receberam a concessão de uso da ocupação.

Os moradores contam que os traficantes chegaram há dois anos e cobram R$ 50 de quem mora ali.

“A gente denunciou pra Polícia Civil, pra Polícia Militar, pra Ouvidoria, pra Secretaria de Segurança. Nada foi feito”.

Nesta terça-feira (15), alguns moradores relataram que pessoas ligadas aos traficantes fizeram novas ameaças. Nos últimos meses, segundo moradores, famílias que receberam autorização para morar no prédio tiveram que abandonar o local porque foram expulsas pelos criminosos.

Depois que a equipe do JN denunciou a situação, a polícia fez uma operação no prédio.

“É a liberdade que não tem mais, que acabou. Eu não tenho mais liberdade”. 

O que dizem os citados

Segundo a Polícia Civil, moradores confirmaram que traficantes do Morro da Providência controlam o prédio. Dois homens foram presos com drogas numa rua próxima.

A Polícia Militar declarou que faz ações frequentes contra o tráfico no prédio; que prendeu 12 pessoas nos últimos meses; e que a Corregedoria interna está apurando a denúncia de que policiais teriam recebido propina.

O Comando Militar do Leste declarou que a Secretaria de Segurança é a responsável pelo caso.