Vila Regata tem programação de lazer até o próximo dia 24

Publicado em 14/11/2017 por A Tarde - BA

Campeões da categoria mais rápida no barco Sodebo Ultim - Foto: Raul Spinassé l Ag. A TARDE
Campeões da categoria mais rápida no barco Sodebo Ultim
Raul Spinassé l Ag. A TARDE

Além da vista da Baía de Todos-os-Santos, que impressiona e arranca elogios, os participantes da 13ª edição da Transat Jacques Vabre, maior regata transatlântica do mundo, encontram outro atrativo ao finalizar a prova: a Vila da Regata.

O espaço, inaugurado na manhã desta segunda-feira, 13, pelo prefeito ACM Neto, funciona até o próximo dia 24 com apresentações musicais, gastronomia e muita diversão.

Uma apresentação instrumental de saxofone é a atração desta terça, 14, no palco que vai receber nomes como Dan Miranda (na quarta, 15), Funk Machine com Adelmo Casé (16); Márcia Short (17); Alexandre Leão (18); Magary Lord (19), apresentação instrumental de saxofone (20), Filhos de Jorge (21), La Playa (22), Carla Cristina (23) e Gerônimo (24). Os shows são gratuitos e começam às 19h.

O horário de funcionamento da Vila é das 17h às 22h, de segunda-feira a sexta-feira, e das 12h às 22h, sábado e domingo. Além da Vila, também foi inaugurado o Comitê Náutico de Salvador, que tem o objetivo de organizar e promover o desenvolvimento da economia náutica na cidade, visando à expansão do turismo e outras atividades relacionadas à área náutica.

A ação é liderada pela Secretaria da Cultura (Secult) com o apoio de outros órgãos, como a Secretaria Municipal de Urbanismo (Sedur); Empresa Salvador Turismo (Saltur); Secretaria de Turismo do Estado da Bahia (Setur); Superintendência do Patrimônio da União (SPU-BA), Marinha do Brasil e Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia (Astramab).

Parceria

A parceria com o governador Rui Costa é importante pelo fato de que, como destacou o prefeito, a Baía de Todos-os-Santos envolve a articulação com outros municípios. "Estamos abertos ao diálogo com o governo do estado. A instalação do Comitê Náutico de Salvador irá ajudar a promover e movimentar a economia da capital através do turismo e ações náuticas. A parceria com a França é muito saudável, esperamos participar da edição de 2019".

A regata Transat Jacques Vabre começou no dia 5 deste mês, na cidade de Le Havre, na França. Há dez anos que Salvador não recebia a competição, que conta com 37 barcos e 74 velejadores de oito países em um percurso de 4.350 milhas náuticas, equivalente a 8.056 quilômetros.

A competição é disputada em quatro classes: Ultime, Multi 50, Imoca, Class 40. Até o fechamento desta edição, duas embarcações chegaram a Salvador: Sodebo Ultim e Maxi Edmond de Rothschild. A embarcação vencedora na categoria Ultime chegou ao terminal, às 7h37 desta segunda, comandada pelos franceses Thomas Coville e Jean-luc Nelias.

A dupla fez o trajeto em tempo recorde: sete dias, 22 horas e sete minutos, e quebrou a marca de 10 dias e 38 minutos, realizada pelo barco Groupama há dez anos. "O recorde não é o objetivo, o objetivo é sempre vencer, independentemente do tempo, além disso o novo barco é fantástico. Já estive em Salvador antes, em outra edição da Transat Jacques Vabre. A cidade é realmente impressionante, quando você chega e vê toda a beleza natural é incrível", afirma o capitão Thomas, que planeja fazer uma travessia ao redor do mundo.

Brasileiro

Já em águas portuguesas, o comandante José Guilherme Caldas e o brasileiro Leonardo Chicourel se encontram na 12ª colocação da Class40. Depois de uma parada técnica de 26 horas, o Team Angola Cables segue ganhando posições na Transat Jacques Vabre.

"Uma semana se passou desde a largada e agora estamos com o barco sob total controle. Mesmo passando a velejar de forma mais conservadora, com o cuidado para não ter mais nenhuma quebra, já nos aproximamos do pelotão de trás", disse José Guilherme.

"Por conta da falta de uma pilha combustível para gerar energia, estamos fazendo isso apenas pelo uso do motor. Como não temos diesel suficiente para deixar o motor constantemente, mantemos o computador desligado a maior parte do tempo, o que nos tem exigido pilotar o tempo todo para poupar o piloto automático", disse.

*Sob a supervisão da editora Meire Oliveira